Texto de autor americano inédito no Brasil, ‘O Marido do Daniel’ estreia no Teatro Petra Gold

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

O espetáculo é uma versão brasileiro do original americano de Michael Mckeever Foto: Cristina Granato./Divulgação

O título deixa poucas dúvidas: “O Marido do Daniel” tem como ponto central um casal homoafetivo. A grande discussão do espetáculo que estreia nesta quarta-feira (15), às 20h, porém, não é sobre preconceito, homofobia ou direitos iguais. Tradução de “Daniels Husband”, do norte-americano Michael Mckeever – que está sendo encenado pela primeira vez no Brasil – a peça fala sobre os altos e baixos típicos de um relacionamento amoroso.

— O texto transcende uma questão que seria dentro da perspectiva de uma peça gay. Para mim não existe esta definição como gênero teatral. Existe sim uma literatura queer, que está em cena. O espetáculo fala sobre qualquer tipo de relacionamento: mazelas e vantagens de uma proteção legal pra qualquer forma de amor — adianta o diretor Gilberto Gawronski, que já havia feito ensaios abertos do espetáculos na última semana.

A ideia de fazer uma versão brasileira de “Daniels Husband” nasceu em 2018, quando José Pedro Peter assistiu ao original na Broadway. Emocionado, ele comprou os direitos autorais e realizou a tradução para a montagem da qual faz parte do elenco ao lado de Alexandre Lino, Bruno Cabrerizo, Ciro Sales e Dedina Bernardelli.

Na trama, Daniel (Sales) e Murilo (Cabrerizo) parecem formar o casal perfeito, vivendo numa bela casa e sempre rodeado de amigos. A sintonia dos dois leva todos a acreditarem num futuro casório, mas as pretensões esbarram em Murilo, que não acredita neste modelo de união. Tal embate de ideias gera uma reviravolta nesta história costurada por uma reflexão sobre amor, compromisso e família.

— “O Marido do Daniel” é uma comédia de costumes. O texto se comunica com todos que buscam um relacionamento amoroso e a formalização na lei, que pode proteger ou angustiar um casal — complementa Gawronski.

PUBLICIDADE