Prêmio Shell 2019: lista do primeiro semestre tem nomes experientes como Stella Freitas e Pedro Paulo Rangel

Do Rio Encena

Sentido horário: “As Comadres”, “Todas as Coisas Maravilhosas”, “Maracanã” e “As Crianças” Foto: Divulgação

O Prêmio Shell 2019, o mais longevo da cena teatral do Rio de Janeiro, já tem seus primeiros concorrentes. Foram divulgados na manhã desta quarta-feira (31) os indicados do primeiro semestre para a 32ª edição. E na lista, marcada pelo equilíbrio, aparecem alguns nomes experientes como Pedro Paulo Rangel, indicado como Melhor Ator pelo solo “O Ator e o Lobo” e que já ganhou o prêmio em 1994 (“Sermão da Quarta-feira de Cinzas”) e em 2004 (“Sopa de Letra”), e a dupla de atrizes Stella Freitas e Analu Prestes por “As Crianças”.

Por falar em “As Crianças”, a comédia dramática – que tem no elenco ainda Mario Borges – foi uma das quatro montagens que receberam mais de uma indicação: ficou com duas, assim como “Todas as Coisas Maravilhosas”, solo de Kiko Mascarenhas, o musical “As Comadres” e “Maracanã”, solo de Ricardo Kosovski. Ou seja, com tal equilíbrio, nenhum espetáculo se destacou com um número expressivo de indicações, ao contrário do que acontece muito nas premiações.

Ao todo, 14 peças receberam indicações de acordo com os votos do corpo de jurados formado por Ana Achcar, Ana Luisa Lima, Bia Junqueira, Patrick Pessoa e Moacir Chaves.

Os indicados do primeiro semestre vão se juntar aos do segundo semestre, que serão divulgados em dezembro. Os melhores de 2019, que faturam quantia de R$ 8 mil, além da concha dourada símbolo da premiação, serão conhecidos em cerimônia programada para o primeiro semestre de 2020 – local e datas ainda não foram definidos.

Confira a lista completa abaixo:

Dramaturgia
Pedro Kosovski por “Eu, Moby Dick”
Pedro Paulo Rangel por “O Ator e o Lobo”

Direção
Fernando Philbert por “Todas as Coisas Maravilhosas”
Ricardo Santos por “Rinoceronte”

Ator
Kiko Mascarenhas por “Todas as Coisas Maravilhosas”
Ricardo Kosovski por “Maracanã”

Atriz
Analu Prestes por “As Crianças”
Claudia Ventura por “A Verdade”
Stella Freitas por “As Crianças”

Cenário
Fernando Mello da Costa por “Maracanã”
Fernando Mello da Costa por “Solo”

Figurino
Marina Franco por “Antes que a Definitiva Noite se Espalhe em Latinoamérica”
Tiago Ribeiro por “As Comadres”

Iluminação
Luiz Paulo Nenen por “Kondima – Sobre Travessias”
Paulo Denizot por “Histórias Veladas”

Música
Dai Ramos por “Os Desertos de Laíde”
Wladimir Pinheiro por “As Comadres”

Inovação
Companhia Ensaio Aberto pela ocupação e desenvolvimento do Armazém da Utopia
Junio Santos, Luiz Antônio Rocha e Richard Riguetti pela realização de “Paulo Freire, o Andarilho da Utopia” que dissemina a obra do renomado educador brasileiro em teatros e espaços públicos

PUBLICIDADE