‘Oboró – Masculinidades Negras’ reestreia no Teatro Firjan Sesi abordando dramas do homem negro

Do Rio Encena

O elenco do espetáculo é formado apenas por homens Foto: Julio Ricardo/Divulgação

A realidade do homem negro dentro da sociedade atual. Este é o foco do espetáculo “Oboró – Masculinidades Negras”, que está de volta ao Teatro Firjan Sesi, no Centro, onde estreou em agosto, para uma segunda temporada. Com direção de Rodrigo França e texto de Adalberto Neto, a peça reestreia na próxima quinta-feira (14), às 19h, e segue até 15 de dezembro, com apresentações também sextas e sábados, no mesmo horário, e domingos, às 18h.

Hipersexualização do corpo, busca pela perfeição em troca de um lugar ao sol, riscos proporcionados pelo racismo e outras seis situações impostas aos negros diariamente são abordadas em cena. Ao todo, 14 atores homens contracenam e mostram como os personagens reagiram a tais desconfortos ocasionados pelo racismo.

Em yorubá, dialeto falado em povoados de países africanos como Nigéria e Togo, Oboró, termo que dá título ao espetáculo, é usado para designar orixás (divindades cultuadas nestes países) do gênero masculino. Alguns deles, inclusive, estão representados em personagens da montagem, como Xangô, Omolu, Exu, Oxóssi e Ogum, entre outros.

PUBLICIDADE