Multipremiado ‘A Invenção do Nordeste’ reestreia no Carlos Gomes discutindo estereotipação do nordestino

Do Rio Encena

A peça mistura humor e drama para falar da estereotipação do nordestino Foto: Divulgação

Depois de duas temporadas, no Sesc Copacabana e no Teatro SESI Centro, que renderam diversas premiações, a comédia “A Invenção do Nordeste” está de volta ao palcos do Rio de Janeiro. Realização do Grupo Carmin, do Rio Grande do Norte, o espetáculo chega ao Teatro Municipal Carlos Gomes, no Centro, na próxima quinta-feira (18), às 19h, jogando mais uma vez luz sobre o preconceito e a estereotipação contra o nordestino. A curtíssima temporada vai somente até o próximo dia 28, com sessões ainda sextas e sábados, no mesmo horário, e domingos, às 18h.

A comédia, que embora seja calcada no humor, trata de um assunto sério, começou a ganhar forma após a eleição presidencial de 2014. Com a divulgação de pesquisas apontando os nordestinos como maior eleitorado da então presidente Dilma Roussef (PT) para a reeleição – que veio a se confirmar após disputa acirrada com Aécio Neves (PSDB) – as redes sociais foram inundadas por publicações jocosas criadas por pessoas insatisfeitas com a petista e que tinham como alvo o povo do Nordeste, como se este fosse o grande “culpado” pelas mazelas do país.

Tal profusão chamou a atenção do professor Durval Muniz de Albuquerque Jr., que escreveu o livro “A Invenção do Nordeste e Outras Artes”. A publicação acabou chamando a atenção de Quitéria Kelly, que teve a ideia de levar a discussão para o teatro.

A partir de então, a equipe do Carmin passou a refletir sobre mecanismos estéticos, históricos e culturais que pudessem ter relação com uma visão estigmatizada do povo da região mais populosa do país. Já com esse material em mãos, os autores Henrique Fontes e Pablo Capistrano começaram a escrever a história de um diretor, cuja tarefa é selecionar um ator nordestino para interpretar um personagem nordestino.

Passadas as audições, restam dois candidatos do Rio Grande do Norte. À espera da final, no entanto, eles refletem sobre identidade, cultura e história pessoal e chegam à conclusão que não será simples viver um personagem nordestino, já que, nem mesmo para quem nasceu na região, não há uma única identidade nordestina.

Prêmios

Nas principais premiações do circuito teatral do Rio, “A Invenção do Nordeste” foi um dos destaques entre as montagens que estrearam por aqui em 2018. No Shell, venceu como Melhor Dramaturgia; no Cesgranrio e no Questão de Crítica, como Melhor Espetáculo; no Prêmio do Humor, foi Melhor Espetáculo, Melhor Direção e Melhor Dramaturgia; no Botequim Cultural, Melhor Autor; no Aptr (Associação dos Produtores de Teatro do Rio), como Melhor Dramaturgia e Melhor Ator Coadjuvante (Robson Medeiros e Mateus Cardoso).

Antes de chegar à capital fluminense, o espetáculo passou por cidades como Natal (RN), João Pessoa (PB), Juazeiro do Norte (PE) e São Paulo SP).

PUBLICIDADE