‘Mojo Mickybo’, adaptação de drama irlandês, estreia no XP Investimentos mostrando cidade dividida pela guerra

Do Rio Encena

Pedro Henrique Lopes (E) e Cirillo Luna vivem os protagonistas e outros personagens Foto: Felipe Luz/Divulgação

Mojo e Mickybo, dois meninos de cerca de 10 anos de idade, vivem num mundo de fantasia que contrasta totalmente com a realidade que os cerca: uma cidade dividida e deteriorada pela guerra. Assim se apresenta “Mojo Mickybo” adaptação da Entre Entretenimento – a mesma responsável pela série de infantis Grande Músicos Para Pequenos – para o drama do premiado autor irlandês Owen McCafferty, cuja estreia acontece nessa sexta-feira (27), às 21h, no Teatro XP Investimentos, antigo Teatro do Jóquei da Gávea.

Dirigidos por Diego Morais, os atores Pedro Henrique Lopes e Cirilo Luna interpretam a dupla de amigos e alguns outros personagens que habitam esta cidade tomada pela polarização radical e pela extrema desigualdade entre classes.

— “Mojo Mickybo” mostra as consequências das desigualdades socioeconômicas em uma mesma população e os embates gerados pelas diferenças culturais.  É um espetáculo que fala sobre a perda da inocência e como todos os heróis podem ser esvaziados em algum momento — explica Diego Morais, que através de uma linguagem cênica ágil e perspicaz ao mesmo tempo, procura divertir e provocar questionamentos.

Ao mencionar heróis que podem ser esvaziados, o diretor se refere a personagens fictícios que os garotos protagonistas da peça admiram. Vivendo num mundo fantasioso, eles se unem e montam sua própria gangue, inspirados em cowboys do faroeste, para combater seus inimigos particulares. Essa realidade paralela e lúdica dos dois, porém, não dura muito.

— Mojo e Mickybo são, ao mesmo tempo, opostos e complementares. Vivem num mundo de fantasia, mas, ao longo do espetáculo, vão perdendo a inocência ao serem invadidos pela realidade que os cerca. A falta de dinheiro, o alcoolismo, a infidelidade, a depressão, a violência e, principalmente, a divisão social vão influenciar no processo de amadurecimento deles — adianta Pedro Henrique, responsável pela adaptação do texto e intérprete de Mojo.

Sobre a adaptação, aliás, Pedro Henrique optou por não colocar a história num lugar específico, assim como acontece no texto original – que é ambientado no “The Troubles” (“Os Problemas”, em tradução livre), o maior conflito étnico, religioso e político da Irlanda do Norte. Na primeira montagem brasileira de “Mojo Mickybo” – que já foi encenado em diversos países e já virou até filme – a trama não é situada geograficamente. A ideia assim é ampliar uma discussão sobre mundo polarizado, divisão social e outras questões abordadas em cena.

PUBLICIDADE