Imperator vai passar por ‘novo modelo de gestão’ ao sair da Prefeitura e passar para responsabilidade do Governo

Luiz Maurício Monteiro

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

O Imperator fica na Rua Dias da Cruz, no Méier, Zona Norte do Rio Foto: Luiz Maurício Monteiro

Importante equipamento cultural da Zona Norte, o Imperator – Centro Cultural João Nogueira, na Rua Dias da Cruz, no Méier, vinha fazendo parte da esfera da Prefeitura do Rio de Janeiro desde 2010, quando começaram as obras no valor de R$ 28 milhões para a sua reinauguração, que viria a ocorrer em 2012. A partir de janeiro do ano que vem, porém, o espaço, que ficou fechado por cerca de 15 anos, passará a ser responsabilidade do Estado – proprietário do terreno onde fica o centro. A transição, confirmada em nota pela administração do local, ocorre às vésperas do fim do prazo da cessão – e havia a intenção de renová-la – a pedido do Governo, através da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa, que pretende propor um “novo modelo de gestão”.

O RIO ENCENA entrou em contato com a SECEC, que informou que o secretário Ruan Lira está em Londres para ministrar uma palestra sobre politicas culturais brasileiras e economia criativa. Ainda de acordo com o órgão, assim que retornar, ele emitirá uma nota para a imprensa com mais detalhes e informações sobre o modelo que pretende implantar no espaço. Os termos desta transferência, aliás, ainda não foram definidos.

Nossa reportagem entrou em contato também com a Secretaria Municipal de Cultura (SMC), que emitiu a seguinte nota:

— A Prefeitura do Rio cumpriu seu papel na gestão do Imperator. Recuperou o equipamento, deu uso, formou plateia com programação de excelência durante sete anos de funcionamento. O contrato de cessão vence em 2020 e, tecnicamente, não há como lançar edital a um período superior ao vencimento do contrato. A Secretaria de Estado, dona do prédio, pediu para retomar a gestão e dará continuidade ao ótimo trabalho que vem sendo realizado pela Prefeitura.

Em declaração ao jornal O Globo, Adolfo Konder, secretário municipal de cultura que está no cargo há pouco mais de um mês, garantiu que vai acompanhar de perto a transição.

— Existe uma preocupação dos dois lados para que o equipamento funcione bem. No que precisar, o município vai estar junto — assegurou Konder.

Também a O Globo, Aniela Jordan, gestora do Imperator através da Produzir Promoções Artísticas, se disse surpresa com a transferência – que encerra a cessão iniciada ainda nos mandatos municipal e estadual, respectivamente, de Eduardo Paes e Sergio Cabral. A produtora, que venceu duas licitações e tem contrato para fazer a gestão do espaço até o fim de 2019, espera que o padrão do local seja mantido.

— Fiquei surpresa, já que tudo está funcionando tão bem. Espero que haja um esforço para manter as características atuais. Temos um público fiel: se mudar a natureza do centro cultural, eles vão gritar — afirma Aniela.

O espaço

O Imperator começou como um gigante cinema (capacidade pra 2.400 pessoas) nos anos 1950, se tornou uma famosa casa de shows (recebendo nomes como Tom Jobim, Tim Maia e até internacionais como Tina Turner e Bob Dylan) e, em dias menos gloriosos, teve até uma fase em que parecia um “camelódromo”. Desde que foi reaberto, no entanto, se tornou um importantíssimo espaço cultural na Zona Norte, e na cidade como um todo, recebendo diferentes atividades como shows, festas, cinema, exposições, espetáculos adultos e infantis de dança e teatro.

Segundo a Produzir Promoções Artísticas, ao longo dos últimos sete anos, desde a reinauguração, passaram pelo equipamento mais de 6 milhões de visitantes, que prestigiaram cerca de 1 mil diferentes produções artísticas, muitas delas gratuitas ou a preços populares – o preço médio do ingresso, por exemplo, fica em R$ 8.

Nota da gestão do Imperator

Comunicamos ao público, artistas e produtores que o Imperator – Centro Cultural João Nogueira foi notificado que, a partir de janeiro de 2020, o controle do Centro Cultural passará a ser do Governo do Estado, deixando de ser da Prefeitura do Rio.

O Imperator é o principal catalizador de cultura da Zona Norte e único no coração do Méier. Um espaço multicultural com excelente estrutura, segurança, limpeza e que oferece uma programação plural, acessível, atendendo à todos os perfis e expectativas de um público tão fiel e que tem o Centro Cultural como sua segunda casa.

Ao longo desses mais de 7 anos, contribuímos para que o Imperator se tornasse um espaço relevante para o Rio de Janeiro, onde mais de 1000 diferentes produções artísticas se apresentaram, um polo de cultura visitado por mais de 6 milhões de pessoas e que se tornou um dos maiores Centros Culturais do Brasil.

Temos um enorme carinho pelo Imperator, pelo público frequentador e desejamos que o espaço continue contribuindo com a valorização da arte, o desenvolvimento da cultura e a formação de novas plateias.

Att,

PUBLICIDADE