Grupo de Pernambuco chega ao Rio falando sobre ‘bolhas sociais’ com espetáculo inspirado em ‘Hamlet’

Do Rio Encena

A montagem é uma realização do grupo pernambucano Magiluth Foto: Jorge Farias/Divulgação

Buscar um diálogo entre o momento da sociedade contemporânea e clássicos atemporais é a linha de trabalho do Grupo Magiluth. E foi exatamente a partir desta receita que nasceu “Dinamarca”, espetáculo inspirado em “Hamlet”, uma das mais famosas obras de William Shakespeare (1564-1616). A temporada carioca, que acontece no Sesc Copacabana e faz parte das comemorações pelos 15 anos de atividades do grupo pernambucano, começa nessa quarta-feira (17), às 19h, e vai somente até o próximo dia 28, com sessões também de quinta a domingo, no mesmo horário.

Nona produção do Magiluth, concebida em 2017, “Dinamarca” parte do clássico shakespeariano, escrito por volta de 1600, para tratar das relações sociais e suas bolhas.

— Chegamos a cogitar montar o clássico como ele é, mas durante o processo de criação, em 2016, descobrimos que era muito latente ainda falar sobre questões políticas espinhosas. A partir da obra de Shakespeare, discutimos essas bolhas sociais, das quais nós mesmos fazemos parte. Falamos sobre uma sociedade que precisa manter a festa acontecendo, ainda que passando por cima da podridão — explica Giordano Castro, que atua e assina o texto da peça.

Sob direção de Pedro Wagner, o elenco conta, além de Giordano, com Bruno Parmera, Erivaldo Oliveira, Mário Sergio Cabral e Lucas Torres. Em cena, os atores representam um grupo de amigos da mais alta nobreza que se reúne para uma festa de casamento. Isolados em suas bolhas, preenchidas por felicidades regradas e artificiais, eles só falam em manter tal estilo de vida, “encastelado” e alheio ao que acontece ao redor. Assim, mostram ser adeptos do hygge, conceito que na Dinamarca, onde se passa “Hamlet”, é usado para definir uma sensação de conforto, bem-estar, contentamento, baseado nas pequenas coisas simples da vida.

PUBLICIDADE