Espetáculos com temporadas suspensas em teatros do Sesc serão remunerados, garante instituição

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Sentido horário: “Êxodo” (E), “Se não Agora”, “Protagonista” e “Redor da Mesa” Fotos: Divulgação

Com o anúncio da quarentena como medida de combate à pandemia do novo coronavírus e a consequente paralisação dos teatros do estado do Rio de Janeiro, a classe artística, naturalmente, passou a se preocupar com a questão financeira. Afinal, sem apresentações, não há público e, tampouco, dinheiro. Entretanto, as produções que já vinham cumprindo temporada em teatros do Sesc (Serviço Social do Comércio) terão um respiro.

Através de comunicado, a instituição garantiu que serão remuneradas todas as atrações culturais que já haviam sido contratadas. No Sesc, em vez da bilheteria, a fonte de renda dos artistas são contratos assinados previamente.

Desta forma, independentemente do tempo de paralisação das atividades por conta do coronavírus, o Sesc irá honrar tais compromissos com peças como “Se não Agora, Quando?”, “O Clássico Êxodo”, “A Protagonista” e “Ao Redor da Mesa, com Clarice Lispector”, entre outras que vinham realizando temporadas em diferentes unidades da capital fluminense como Tijuca, Ginástico e Copacabana, e do estado como um todo. A medida protecionista pode servir também para aquelas que já tinham acordo para estrear, vinham ensaiando, mas ainda não haviam assinado contrato. Estas serão analisadas caso a caso.

O RIO ENCENA entrou em contato com o Sesc, que, através da assessoria de imprensa, explicou que com este procedimento, o Sesc ficará com uma espécie de crédito para depois que a quarentena acabar. Ou seja, os espetáculos já contratados serão remanejados para futuras ocasiões. Sobre o prazo para a remuneração, a instituição não soube precisar uma data já que departamentos do Sesc, como o financeiro, por exemplo, teve sua rotina modificada devido à pandemia, com funcionários, inclusive, trabalhando em esquema de home-office.

Até a tarde desta quinta-feira (19), o estado do Rio de Janeiro registra 65 casos confirmados da covid-19, sendo 55 na capital, sete em Niterói, uma em Barra Mansa, uma Guapimirim e uma em Miguel Pereira. Até o momento, duas mortes foram registradas por conta da doença: uma mulher em Miguel Pereira, no Sul Fluminense e um homem em Niterói, na Região Metropolitana. Ambos tinham mais de 60 anos e eram diabéticos e hipertensos.

PUBLICIDADE