Coronavírus: Prêmio Shell e do Humor cancelados, temporadas suspensas e Aptr se reúne com governador

Luiz Maurício Monteiro - atualizado às 16h21

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Foto: Reprodução/Internet

Com 16 casos confirmados até agora no Rio de Janeiro, sendo três por transmissão local, o novo coronavírus começa a afetar a rotina dos teatros da cidade. Algumas medidas de prevenção contra o Covid-19, que foi decretado nesta semana pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como em estado de pandemia, já estão sendo tomadas.

O RIO ENCENA apurou nesta sexta-feira (13) que as organizações dos prêmios do Humor e Shell decidiram cancelar suas cerimônias de premiação que aconteceriam ainda em março. Enquanto o primeiro deve aguardar para tentar definir uma nova data, o segundo comunicou que fará apenas o anúncio em breve dos vencedores.

— Trata-se de uma questão global de saúde. Com a rápida evolução da situação, optamos pela prudência e por garantir o bem-estar do público que compareceria e trabalharia na cerimônia. Esta é a primeira vez, desde o início do Prêmio Shell de Teatro, em 1998, que optamos por suspender a noite de entrega dos prêmios. No entanto, nosso compromisso com o teatro brasileiro continua — declarou Glauco Paiva, gerente executivo de Relações Externas da Shell Brasil, em comunicado oficial

Já no Oi Futuro, todas as atividades estão suspensas. A própria administração divulgou uma nota informando que a partir desse sábado (14), as atividades estão suspensas até segunda ordem. Com isso, as temporadas do infantil “Lupita” e de  “O Som e a Fúria” estão paralisadas.  apóO mesmo acontece no Musehum (Museu das Comunicações de Humanidades), também sob responsabilidade do Oi Futuro.

E esta, talvez, seja uma tendência no circuito teatral do Rio para os próximos dias. Após um encontro nesta quinta (12) com a secretária estadual de cultura Danielle Barros, o secretário municipal de cultura Adolpho Konder, o Dr. Pedro Coscarel como representante da Secretaria de Saúde do Estado e a secretária municipal de saúde Ana Beatriz Busch, além de representantes de outros órgãos, a Aptr (Associação dos Produtores de Teatro do Rio) divulgou um comunicado com orientações a serem seguidas nas salas de teatro.

Entre elas, ocupação de no máximo 50% das casas e exibição de um vídeo antes de cada sessão com orientações da secretaria estadual de saúde sobre o Covid-19. No entanto, o próprio Eduardo Barata, presidente da Aptr, reconhece que estas orientações podem mudar muito em breve. Logo mais, às 16h, ele terá uma reunião com o governador Wilson Witzel, na qual deverão ser discutidas outras medidas a serem tomadas contra a pandemia do coronavírus.

— A gente vai seguir as recomendações dos poderes públicos municipal, estadual e federal. É o poder público que vai determinar como a socidade vai se posicionar. Estamos num momento de uma pandemia que assusta não só os cariocas, fluminenses e brasileiros, mas todo o mundo. E as ações de prevenção tem que acontecer agora para que isso não se alastre. Então dia a dia, hora a hora tudo pode mudar. E o público tem que ficar atento a estas recomendações. Tenho esta reunião com o governador agora, é para falar sobre o coronavírus, e não sei mais detalhes. Mas a gente vai seguir as orientações. Essa é a nossa postura — disse Eduardo barata à nossa reportagem.

Outro cancelamento foi a do espetáculo “Orlando Silva – Nada Além”, com o ator Tuca Andrada, que faria duas apresentações nos dois últimos domingos do mês. A produção – que providenciará o ressarcimento a quem já havia comprado ingressos – emitiu um comunicado nas redes sociais falando que “esta é a decisão mais correta e responsável” a ser tomada, muito por conta da grande presença no público da peça de idosos, considerados grupo altamente vulnerável ao coronavírus.

PUBLICIDADE