Comédia musical ‘O Meu Sangue Ferve por Você’ celebra 10 anos da estreia com muita música brega na Gávea

Do Rio Encena

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

O espetáculo volta ao cartaz 10 anos após a estreia com o mesmo elenco Foto: Junior Mandriola/Divulgação

Sidney Magal, Reginaldo Rossi, Fábio Junior, Gretchen, Rosana… Estes são alguns dos artistas ícones da chamada música brega presentes na trilha sonora do espetáculo “O meu Sangue Ferve por Você”. Em comemoração pelos 10 anos de estreia da comédia musical – realizada no segundo semestre de 2009 – Ana Baird, Cristiana Pompeo, Pedro Henrique Lopes e Victor Maia se reuniram novamente para uma temporada no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, que começa no próximo dia 28 (sexta).

Sob direção de Diego Morais (também da versão original), o quarteto apresenta a história “tragicômica” de um quadrilátero amoroso que vive intensamente os altos de baixos do amor. Em ritmo de chanchada, a mocinha Creuza Paula e o cafajeste Elivandro vivem uma relação estável até a chegada do ex-namorado dela, o bom moço Fernando Sidnelson.

Pedro Henrique Lopes (E), Ana Baird, Cristiana Pompeo e Victor Maia em cena Foto: Adriana Prado/Divulgação

Já Sandra Rosa Madalena é amante de Elivandro e a peça que completa este quarteto que promete atravessar todos os momentos que uma história de amor tem direito: os românticos, os de desentendimentos e de reconciliações. Com a trama, aliás, o espetáculo promete não apenas levar música e humor aos espectadores, mas também, invertendo a ordem natural das coisas, fazê-los torcer pelo canalha e ter raiva da mocinha.

Ainda sobre a trilha sonora, que será executada ao vivo por uma banda, Pedro Henrique Lopes, responsável também pelo texto, adianta que nesta versão 2020 do espetáculo músicas atuais serão adicionadas, sem, no entanto, deixar de lado clássicos do brega como “Alma Gêmea”, “Sandra Rosa Madalena”, “Garçom”, “Escrito nas Estrelas” e “Evidências”.

— A gente tentava brincar só com as músicas do passado, mas as pessoas não se cansam de sofrer por amor e cantar sobre isso, então tivemos que atualizar o roteiro. E tem coisa mais brega e mais atual que dor de cotovelo? — brinca o ator e autor.

Com ingressos entre R$ 35 (meia) e R$ 80 (inteira), a comédia musical fica em cartaz até 21 de março, com apresentações também aos sábados, no mesmo horário das 21h, e domingos, às 20h.

PUBLICIDADE