Aquela Cia. de Teatro protesta contra censura com sessão gratuita de ‘Caranguejo Overdrive’ em frente ao CCBB

Por:

A apresentação de “Caranguejo Overdrive” acontece na tarde desta sexta-feira (11) Foto: Elisa Mendes/Divulgação

A Aquela Cia. de Teatro vai realizar nesta sexta-feira (11), às 17h, uma apresentação gratuita a céu aberto do espetáculo “Caranguejo Overdrive”. O ponto escolhido para o evento extraordinário é a porta do Centro Cultural Banco do Brasil, onde, na verdade, a montagem seria encenada nesta semana como parte da programação da Mostra CCBB 30 Anos de Cias., promovida em celebração às três décadas de atividades do equipamento administrado pela esfera federal. De última hora, porém, a participação foi cancelada, o que levou a trupe a organizar esta sessão em forma de protesto contra uma possível censura.

Assim que foi efetivado o cancelamento das apresentações de “Caranguejo Overdrive”, que tem direção de Marco André Nunes e texto de Pedro Kosovski, o RIO ENCENA entrou em contato com o CCBB via e-mail para falar sobre o suposto veto, mas não houve retorno.

Em sua página no Facebook, a Aquela Cia. de Teatro – que fará a apresentação mais precisamente no espaço em frente ao CCBB entre a Pira Olímpica e a Candelária – publicou uma nota lamentando o ocorrido e ressaltando que o momento no Brasil é de resistir a atos de censura – o espetáculo “Lembro Todo Dia de Você”, protagonizada por um personagem homossexual e soropositivo, por exemplo, teve sessões suspensas na Caixa Cultural do Rio, outro equipamento sob administração federal.

Já no caso de “Caranguejo Overdrive”, que precisou estender a temporada mais recente no Espaço Sérgio Porto, no Humaitá, devido ao cancelamento no CCBB, a abordagem é sobre o campo político, tocando em temas muito em voga como milícias e Amazônia.

Desde que estreou em 2015, o espetáculo vem acumulando apresentações – já são mais de 200 – em temporadas pelo país e em festivais nacionais e internacionais, além ter vencido as principais premiações teatrais do Rio de Janeiro. Ao todo,a peça faturou três prêmios Shell (Autor, Diretor e Atriz); dois Cesgranrio (Autor e Diretor); três APTR – Associação dos Produtores de Teatro do Rio (Autor, Diretor e Atriz).

Confira abaixo a nota da Aquela Cia. na íntegra:

CARTA AO PÚBLICONós, artistas das companhias teatrais participantes da mostra CCBB – 30 anos de cias, vimos por meio…

Publicado por Aquela Cia. em Domingo, 6 de outubro de 2019

SERVIÇO

Local: Espaço em frente ao Centro Cultural Banco do Brasil
Endereço: Rua Primeiro de Março, Nº 66 – Centro.
Sessão: Sexta (11) às 17h (com concentração às 16h)
Elenco: Carolina Virguez, Alex Nader, Eduardo Speroni, Fellipe Marques e Matheus Macena
Direção: Marco André Nunes
Texto: Pedro Kosovski
Classificação: 16 anos
Entrada: Franca
Sinopse: O espetáculo conta a história de Cosme, ex-catador de caranguejos no mangue carioca da metade do século XIX. Convocado para integrar as forças brasileiras na Guerra do Paraguai, ele enlouquece no campo de batalha, volta ao Rio de Janeiro e encontra uma cidade em grande transformação. Na capital, Cosme arruma trabalho na construção do canal que representou a primeira grande obra de saneamento da cidade, na região da Praça Onze. Mas entra em crise novamente, abandona tudo, vaga pela noite, mergulha no delírio. Apanhado por uma tempestade dessas tão conhecidas dos cariocas, torna-se, enfim, um caranguejo. Dirigida por Marco André Nunes, a peça dialoga com a obra do geógrafo Josué de Castro e com o movimento manguebeat, que surgiu no Recife no fim dos anos 1990 e teve no músico Chico Science seu maior expoente.

* Segundo informações do teatro e/ou da produção do espetáculo

PUBLICIDADE