Adaptação de ‘O Vendedor de Sonhos’ estreia no Teatro XP Investimentos falando sobre o valor da vida

Do Rio Encena

O espetáculo rodou o país antes de chegar ao Rio de Janeiro Foto: Vinícius Angeli/Divulgação

Depois de rodar diversas cidades Brasil afora, o espetáculo “O Vendedor de Sonhos” chega ao Rio de Janeiro pela primeira vez nesta semana. Adaptação teatral do romance homônimo de Augusto Cury – o mais vendido dele e traduzido em mais de 60 idiomas – a peça estreia no Teatro XP Investimentos, na Gávea, nessa sexta-feira (05), às 21h, prometendo emocionar o público fluminense com uma história que valoriza o ato de viver.

— Ver os atores participando, vivenciando os personagens que eu construí nas mais diversas situações estressantes em que eles passaram, e levando o espectador a fazer uma viagem para dentro de si mesmo para encontrar o mais importante endereço que poucos encontram, o endereço em sua própria mente, é de fato um grande prazer. Eu acredito que várias pessoas que assistirem perceberão que vale a pena viver a vida mesmo quando o mundo desaba sobre nós — destaca Augusto Cury.

O próprio escritor, aliás, foi um dos responsáveis por levar o romance psiquiátrico para os palcos. A adaptação foi feita por ele, pela diretora Cristiane Natale e por Erikah Barbin. No elenco, estão Mateus Carrieri, Adriano Merline, Luiz Amorim, Marcos Veríssimo, Maurício Colatoni, Anisha Zevallos, Guilherme Carrasco e Fernanda Mariano.

O romance que deu origem à peça Foto: Reprodução/Internet

No palco, os atores vivem a trama que tem como primeiro ponto alto quando o personagem Julio César tenta cometer suicídio. Entretanto, antes de concluir o ato, ele é impedido por um mendigo. Mestre, como é conhecido, lhe oferece uma vírgula, para que, a partir dela, o sujeito recomece a escrever sua história.

Em seguida, a dupla conhece Bartolomeu, um bêbado boa-praça. Ao se conhecerem, os três decidem encarar uma missão juntos: vender sonhos e de despertar uma sociedade que consideram estar doente. Através da história lúdica – que já foi adaptada também para os cinemas em 2016 – a montagem pretende tocar o espectador do Rio, assim como já fez em outras praças.

— Creio que o papel da arte seja além da diversão e de alguma forma plantar pelo menos uma semente, e quando assistimos uma cena ou outra que entra em concordância com o que sentimos nos emocionamos, porque é exatamente o que gostaríamos de fazer ou falar. Durante o espetáculo vemos muitas pessoas às lágrimas. Elas saem gratas. Porque percebem que muitos compartilham das mesmas dores — acrescenta a diretora.

“O Vendedor de Sonhos” segue em cartaz no XP Investimentos até 04 de agosto, com apresentações também sábados às 21h e domingos, às 20h.

Leia Também

PUBLICIDADE