‘Yank – O Musical’ estreia no Teatro Serrador encenando romance gay durante guerra

Do Rio Encena

Betto Marque e Hugo Bonemer são os protagonistas da montagem Foto: Ronaldo Correa/Divulgação

Em “Yank – O Musical”, um relacionamento homoafetivo enfrenta adversidades elevadas a níveis muito acima do que ainda se vê no cotidiano atual. Com estreia marcada para essa quinta-feira (08), às 19h30, no Teatro Serrador, no Centro, o espetáculo é protagonizado pelo correspondente de guerra Stu e pelo soldado Mitch, que se apaixonam em plena Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Com a sobrevivência como principal meta, eles lutam também para ficar juntos, mesmo diante de uma época e de circunstâncias que lutam contra este romance.

Esta é a primeira vez que o texto original dos irmãos norte-americanos Joseph e David Zellnik é encenado num idioma que não o inglês (em março houve uma versão europeia, em Manchester, na Inglaterra). Sob direção de Menelick de Carvalho, os atores Hugo Bonemer e Betto Marque interpretam os personagens, Stu e Mitch respectivamente, que representam histórias reais.

– Antes da guerra, milhares de gays americanos pensavam ser únicos no mundo. Quando os Estados Unidos reúnem essa gente toda na guerra, eles descobrem que não estão sozinhos.”Então nem todo mundo nasce heterossexual?” “A sexualidade não é uma construção, mas uma condição natural?” “O que nos impede de ser feliz?” Mesmo num ambiente hostil, formam-se milhares de casais, felizes com a descoberta de que “é real, e é normal”. Quem era descoberto ia preso, mas podia escolher ir para a linha de frente, de onde cerca de 80% dos soldados não voltavam – conta Hugo.

Já Betto, que ao lado de Hugo forma um elenco de 11 atores no total, transporta o romance que se passa durante uma guerra para os dias atuais. Mesmo a ignorância em relação ao assunto não sendo mais a mesma, ele traça um paralelo entre as realidades.

– O que me motiva nesse espetáculo é descobrir, através desses personagens, a possibilidade de amor em tempos de ódio. Sinto que a intolerância, o ódio e a agressão continuam sendo as energias motrizes de nossos corpos. A Segunda Guerra ainda continua através da intolerância diária em nossas grandes cidades. Parece que não aprendemos nada. Sinto que aceitamos a guerra e sabemos pouco sobre amor e empatia – lamenta.

A versão original de “Yank” estreou em 2010 no circuito off-Broadway (salas menores de Nova York). Na ocasião, a peça recebeu sete indicações ao Drama Desk Awards (incluindo Melhor Musical), assim como indicações de Melhor Musical no Outer Critics Circle Award e The Lucille Lortel Awards.

PUBLICIDADE