Tragédia de costumes rodrigueana ‘Perdoa-me por me Traíres’ retorna à Casa de Cultura Laura Alvim

Do Rio Encena

Ernani Moraes, o Tio Raul, entre Bebel Ambrósio (E) e Clarissa Kahane Foto: Divulgação

Um tio de caráter duvidoso que passa a seguir de perto a sobrinha, que por sua vez planeja uma vingança contra ele. Este é um resumo de “Perdoa-me por me Traíres”, tragédia de costumes de Nelson Rodrigues (1912-1980) que está de volta à Casa de Cultura Laura Alvim. A estreia acontece nesta sexta-feira (03), às 21h, dando início a uma temporada que segue até o dia 26 deste mês, com sessões também sábados, no mesmo horário, e domingos, às 20h.

Com direção de Daniel Herz, o espetáculo reúne diversos ingredientes tipicamente rodrigueanos, como traições, morte, sexo, vingança, violência física e moral e prostituição, para contar a história do Tio Raul. Depois de assassinar a cunhada infiel, ele passa a vigiar escancaradamente a filha dela, Glorinha, uma jovem de 16 anos. Para justificar seu comportamento, o homem diz que quer apenas “preservar a castidade” da órfã.

A esta altura, porém, a garota já está envolvida com o universo dos bordéis, se prostituindo. Enquanto o tio a ameaça prometendo tornar públicos segredos sobre suas origem caso continue com aquela vida, ela acerta os detalhes finais de um plano de vingança contra ele.

“Perdoa-me por me Traíres” já foi encenada inúmeras vezes. Além desta versão que está reestreando na Laura Alvim, o texto já foi montado em 2013 pela Cia. Teatral Casa dos Azulejos, e em 1957, ano em que foi escrito, quando o próprio Nelson Rodrigues interpretou o tio Raul. A obra foi adaptada também para o cinema com o filme homônimo de 1980, dirigido por Braz Chediak.