Tônia Carrero, atriz de 95 anos, morre no Rio de Janeiro

Do Rio Encena

A atriz teve uma parada cardíaca durante uma cirurgia Foto: Divulgação

Morreu na noite deste sábado (03) a atriz Tônia Carrero, aos 95 anos. Segundo o canal por assinatura GloboNews, por volta de 22h15, a veterana artista foi submetida a uma cirurgia numa clínica na Gávea, na Zona Sul, acabou sofrendo uma parada cardíaca e não resistiu. O velório ainda não tem local definido, mas acontece neste domingo. Já a cremação está marcada para essa segunda-feira.

Maria Antonietta Portocarrero Thedim atuou ao todo em mais de 50 espetáculos. Começou nos anos 50, com produções como “Helena Fechou a Porta” e “A Viúva Astuciosa”, fez títulos conhecidos como “Lisbela e o Prisioneiro” (de Osman Lins, 1961), “Navalha na Carne” (de Plínio Marcos, 1967) e “Macbeth” (de William Shakespeare, 1970). Seguiu nos palcos até 2007, quando integrou o elenco de “Um Barco Para o Sonho”, sua última peça, de Alexei Arbuzov, com produção de Cécil Thiré, seu filho único, e direção de Carlos Thiré, um de seus netos.

Tônia Carrero, que era formada em educação física e começou a formação artística em cursos realizados em Paris, foi um dos grandes nomes e uma das maiores damas do teatro brasileiro. Em 2007, viu uma das três salas do Teatro do Leblon ser batizada com seu nome – as outras são Fernanda Montenegro e Marília Pêra (1943-2015). Devido à crise financeira, porém, o equipamento acabou sendo fechado em 2016. Já em 2008, ela foi a grande homenageada do Prêmio Shell, um dos mais relevantes e longevos do país.

A atriz teve carreira bem sucedida também nas telas. Na TV, começou na extinta Tupi, em 1952, e participou de 15 novelas, inclusive algumas de sucesso da Globo, como “Água Viva” (1980), “Sassaricando” (1987) e “Senhora do Destino” (2004), sua última. Já no cinema, foram cerca de 20 filmes, como, por exemplo, “Querida Susana” (1947), “Copacabana Palace” (1962), “Vinícius” (2005) e “Chega de Saudade” (2007), sua despedida das telonas.

PUBLICIDADE