‘Tom na Fazenda’ é o mais indicado na lista do primeiro semestre do Prêmio Botequim Cultural

Do Rio Encena

Armando Babaioff (E) é o idealizador do espetáculo que ficou com 10 indicações Foto: José Limongi/Divulgação

O site Botequim Cultural, que promove anualmente um prêmio teatral homônimo, divulgou nesta terça-feira (11) a relação com os indicados do primeiro semestre a melhores peças do Rio de Janeiro em 2017.  Ao todo, foram citadas 24 produções, das quais “Tom na Fazenda”, idealizado e protagonizado por Armando Babaioff, chamou atenção com 10 indicações, entre elas melhor espetáculo de Drama/Comédia, Direção (Rodrigo Portella) e Ator (Babaioff). Em seguida, aparece “ELA”, com oito.

O Prêmio Botequim Cultural, que já está na sexta edição, é dividido em três segmentos: além de Drama/Comédia, há ainda Teatro Musical e Teatro Infantojuvenil. Com um corpo de jurados formado por Daniel Belmonte, Gilberto Bartholo, Wagner Correa de Araújo, Zé Helou e Renato Mello, a premiação fechará a lista completa, com os indicados da segunda metade do ano, no início de janeiro de 2018.

Após esta etapa, começa o processo de votação popular para a definição dos grandes vencedores, que receberão uma estatueta em bronze criada por Edgar Duvivier. Confira a lista completa abaixo:

DRAMA/COMÉDIA
Melhor Espetáculo
“Ela”
“O Pão e a Pedra”
“Tom na Fazenda”

Melhor Direção
Kiko Marques por “Sobre Ratos e Homens”
Paulo Verlings por “Ela”
Rodrigo Portella por “Tom na Fazenda”

Autor(Original/Adaptado)
Marcia Zanelatto por “Ela”
Michel Melamed por “Monólogo Público”
Sérgio de Carvalho por “O Pão e a Pedra”

Ator
Armando Babaioff por “Tom na Fazenda”
Edwin Luisi por “Alair”
Luís Lobianco por “Gisberta”

Atriz
Carolina Pismel por “Ela”
Débora Falabella por “Love Love Love”
Yara de Novaes por “Love Love Love”

TEATRO MUSICAL
Melhor Espetáculo
“Cartola”
“Janis”
“Vamp, o Musical”

Melhor Diretor
André Paes Leme por “Um Amor de Vinil”
Diego Morais por “Vamp, o Musical”
Sérgio Módena por “Janis”

Melhor Autor(Original/Adaptado)
Diego Fortes por “O Grande Sucesso”
Hugo Sukman e Marcos França por “Deixa a Dor Por Minha Conta”
Walter Daguerre por “Josephine Baker, a Vênus Negra”

Melhor Ator
Flavio Bauraqui por “Cartola”
Ivan Vellame por “Deixa a Dor por Minha Conta”
Marcos Tumura por “Forever Young”

Melhor Atriz
Aline de Luna por “Josephine Baker, a Vênus Negra”
Carol Fazu por “Janis”
Vanessa Gerbelli por “Forever Young”

TEATRO INFANTOJUVENIL
Melhor Espetáculo
“Casa Caramujo”
“Tra Lá Lá”
“Romeu e Julieta por do Nosso Jeitinho”

Melhor Direção
Ana Paula Abreu por “Tra La Lá”
Gustavo Paso por “Casa Caramujo”
Leonardo Simões por “Mário, Mar e o Amor”

Melhor Autor(Original/Adaptado)
Aline Marosa e Marco dos Anjos por “Alfaiate de Palavras”
Gustavo Paso por “Casa Caramujo”
Vanessa Dantas por “Tra La Lá”

Melhor Ator
Leandro Castilho por “Tra La Lá”
Leonardo Miranda “Tra La Lá”
Marcio Nascimento por “Casa Caramujo”

Melhor Atriz
Ana Bello por “Tra La Lá”
Barbara Abi-Rihan por “Tagarelando”
Nina Pamplona por “Alfaiate de Palavras”

ATOR/ATRIZ EM PAPEL COADJUVANTE(sem distinção de segmento)
Ator Em Papel Coadjuvante
Gustavo Vaz por “Tom na Fazenda”
Rodrigo Pocidônio por “Adeus, Palhaços Mortos”
Roberto Borenstein por “Sobre Ratos e Homens”

Atriz Em Papel Coadjuvante
Camila Nhary por “Tom na Fazenda”
Kelzy Ecard “Tom na Fazenda”
Patricia Elizardo por “Ela”

CATEGORIAS TÉCNICAS (sem distinção de segmento)
Direção Musical
Lucio Zandonati por “Gisberta”
Marcelo H por “Tom na Fazenda”
Rodrigo Geribello por “Morte Acidental de um Anarquista”

Cenografia
Aurora dos Campos por “Tom na Fazenda”
Mina Quental por “Ela”
Sérgio Marimba por “Monólogo Público”

Figurino
Bruno Perlatto “Tom na Fazenda”
Fabio Namatame “Sobre Ratos e Homens”
Lessa de Lacerda por “Vamp, o Musical”

Iluminação
Fernanda Mantovani e Tiago Mantovani por “Ela”
José Roberto Jardim e Paula Hemsi por “Adeus, Palhaços Mortos”
Tomás Ribas por “Alair” e “Tom na Fazenda”

Prêmio Especial(Artista ou manifestação relevante ao cenário teatral carioca)
Amir Haddad – em comemoração aos 80 anos de vida, pela trajetória artística, criação do grupo de teatro Tá na Rua e pelo seu teatro de resistência.
Artesanal Cia de Teatro – pelo lançamento do catálogo em comemoração aos seus 21 anos, incluindo CD de audiodescrição possibilitando a acessibilidade ao conteúdo, registrando a trajetória da companhia e o trabalho de linguagem desenvolvido.
Professor Carlos Alberto Serpa – pela dedicação às artes cênicas, incentivo à formação de novos profissionais e construção de espaços teatrais na cidade