Solo ‘O Último Delírio de van Gogh’ retorna à Casa de Cultura Laura Alvim para curta temporada

Por:

Rafael Mannheimer protagoniza o solo, cuja estética remete a artes plásticas Foto: Alberto Maurício/Divulgação

Até mesmo os gênios têm seus dias difíceis! Considerado uma das principais referências das artes plásticas na história, o holandês Vincent van Gogh (1853-1890) tem um recorte de fracasso na sua trajetória retratado em “O Último Delírio de van Gogh”, monólogo que está de volta à Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, onde estreou em março do ano passado. A nova e curta temporada começa nesta terça-feira (05), às 19h, e vai somente até o próximo dia 27, com apresentações também às quartas, no mesmo horário.

O último delírio do artista mencionado no título do espetáculo teria origem nas cartas que ele trocou com seu irmão Theo a respeito das vendas de suas obras, cujos resultados foram bem abaixo do esperado. Tais documentos, inclusive, originaram a criação cênica em parceira entre o autor e diretor Jiddu Saldanha e o ator Rafael Mannheimer.

Ao saber do baixíssimo interesse por suas obras – apenas uma fora vendida – o artista holandês, sozinho num quarto frio e se sentindo desprotegido, surta e mergulha na própria essência a fim de buscar uma razão para ressurgir das próprias cinzas.

Inspirada pela estética das cerca de 800 pinturas a óleo de van Gogh, a diretora de arte Alexandra Arakawa propôs que tudo no palco remetesse a uma obra de artes plásticas. A característica vai desde o desenho de luz até o cenário e o figurino, finalizados com traços “vangoghianos” do artista plástico e designer Duda Simões.

PUBLICIDADE