Solo ‘Carne de Umbigo’ reúne poesia, performance e videopoemas em curta temporada na Casa Rio, em Botafogo

Do Rio Encena

Maria Rezende é poeta, atriz e montadora de cinema e TV Foto: Elena Moc/Divulgação

Maria Rezende é poeta, atriz e montadora de cinema e TV Foto: Elena Moc/Divulgação

Maria Rezende, que compõe poemas há mais de 20 anos, decidiu levar parte da sua obra literária das páginas de seus três livros para o palco. O resultado é “Carne de Umbigo”, recital multimídia que estreia na Casa Rio, em Botafogo, nessa quarta-feira (18/01), às 21h. No palco, a poeta e atriz de 37 anos, que fica em cartaz só até 08/02, mistura poesia, performance e videopoemas que refletem a sua visão sobre diferentes pontos.

– Faço uma poesia contemporânea, de uma mulher urbana olhando para si mesma e para o mundo ao redor. O que sobressai é o meu olhar singular sobre esse universo – frisa Maria, autora de “Substantivo Feminino” (2003), “Bendita Palavra” (2008) e “Carne do Umbigo” (2015), que se vê como uma poeta realista esperançosa: Muitas vezes, começo com a dor, e termino com uma luz no fim do túnel.

Além da interpretação, Maria é responsável pela concepção e pela direção do espetáculo solo. No palco, ela atua num cenário montado com projeção de fotos de seu próprio corpo feitas por Ana Alexandrino. Para ilustrar os videopoemas, uma marca registrada sua, a poeta utiliza imagens que ela própria captou e editou. Inclusive, Maria tem experiência como montadora de filmes, tendo no currículo longas como como “Meu passado me condena 1 e 2”, ”Ponte aérea”, “Em nome da lei”, “Tô Ryka”, “Questão de Família” e “Os homens são de Marte”.

Além disso, fora do teatro, Maria é celebrante de casamentos. No entanto, sua paixão é mesmo a poesia.

– Com 18, 19 anos, eu queria aprender a falar a poesia de meus autores preferidos e fui fazer aulas com a (atriz e poeta) Elisa Lucinda. Só depois, tive coragem de começar a mostrar em público meus próprios poemas em eventos como o CEP 20.000 – encerra.

PUBLICIDADE