Sobreposição de temas polêmicos acaba dispersando reflexão de ’40 Anos Esta Noite’

Péricles Vanzella

Péricles Vanzella

32 anos, é doutor em Artes Cênicas pela Unirio, ator, sapateador e cantor.

Em cartaz no Teatro Ipanema, “40 Anos Esta Noite” investe na discussão de temas constantemente trazidos à tona no cenário político atual. A pertinência e o frescor do debate, contudo, não previnem a dispersão da abordagem, que não consegue dar conta de tudo da maneira contundente que sugere.

Gabriela, que mora com a namorada Clarice, decide comemorar seu aniversário de 40 anos em um jantar com um casal de amigos: Bernardo, amigo de infância, e seu namorado recente, João. Durante a celebração, ela revela que há tempos vem tentando engravidar, via inseminação artificial, sem sucesso; então propõe ao amigo Bernardo que eles transem, pois ela está ovulando, para assim ter o tão sonhado filho, com o qual formaria uma família ao lado de Clarice, e cujo pai biológico seria seu melhor amigo. A súbita notícia gera um impasse geral, que envolve ciúmes, conceito de família, afirmação da homossexualidade, maturidade da relação, enfim…

O cenário compõe uma sala de jantar urbana contemporânea. Ao não separar ambientes, condensa a trama numa relação constante e claustrofóbica entre quatro personagens que estabelecem diversos conflitos entre si, forçando os temas a sobreporem-se.

Os figurinos seguem a linha contemporânea e urbana que já vimos no cenário.

Os atores acabam caindo num artificialismo, mas é notável sua tentativa de dar conta de todos os pontos que a peça abriga. Dentro de uma estética realista muito bem incorporada, algumas nuances são alcançadas com um ótimo nível de condução; contudo, de um ponto de vista mais geral, o gráfico de emoções varia demais (no espaço de um jantar) para que tudo pareça crível.

Em suma, o mérito de encarar temas sensíveis acaba sendo nublado pela tentativa de abordá-los em conjunto: conflito central e conflitos paralelos começam a se confundir, e as inúmeras intrigas no diálogo provocam sobressaltos e oposições acentuadas entre os personagens, que culminam em um final conciliador difícil de digerir.

Um abraço e até domingo que vem!
Dúvidas, críticas ou sugestões, envie para pericles.vanzella@rioencena.com.br.

PUBLICIDADE