Sobre amizade, ‘Tagarelando’ estreia no Centro Cultural Justiça Federal a preços populares

Do Rio Encena

Bárbara e Fábio são os protagonistas da peça Foto: Anderson Pereira/Divulgação

Uma reflexão sobre a amizade, o infantil “Tagarelando”, do PORTÔ – Coletivo de Arte, inicia suas apresentações no Centro Cultural Justiça Federal, no Centro, nesse sábado (18), às 16h, com ingressos super em conta: a partir de R$ 10 (meia). A peça utiliza um misto de linguagens – circo, contação de histórias, repente, cordel – para contar a história de Severino e Catirina, vividos por Fábio Lacerda e Bárbara Abi-Rihan, respectivamente, dois antigos amigos que esquecem a rivalidade atual para se unirem e salvarem a pequena cidade de Argeron, prestes a ser destruída por Suez, o Deus do vento que faz a curva, que já não vê mais ali a amizade e a felicidade.

O espetáculo, no entanto, começa não muito amistoso antes dessa demonstração mútua de solidariedade. Saltimbancos repentistas, Severino e Catirina se encontram diante de um público que aguarda uma apresentação que não acontece nunca. Os dois, na verdade, tentam ganhar a plateia numa combinação de repentes e estripulias. Somente depois do início dessa disputa meio sem sentido é que ambos percebem que a cidadezinha onde vivem precisa de sua união para não ruir. Essa história, aliás, pode falar até mais do que apenas sobre amizade, segundo o autor e diretor Wanderson Roscen.

– Acreditamos que através da educação e da cultura somos capazes de desenvolver o senso crítico de uma criança, sem privá-la de ter acesso às informações de toda natureza. Como falar, por exemplo, com elas, sobre a crise no país? E sobre as guerras no mundo?  Colocá-las em bolhas de proteção seria prejudicial ao desenvolvimento de sua generosidade, de sua compaixão. Buscamos, por meio da poesia – relata.

A trilha sonora é executada pelos próprios atores durante a peça. No palco, eles cantam, tocam violão e pandeiro, entre outros instrumentos, demonstrando influências da música árabe à nordestina.