Sesc Copacabana recebe ‘Tripas’, parceria entre pai e filho fruto de experiência entre a vida e a morte

Do Rio Encena

Ricardo Kosovski atua com texto e direção do filho Pedro Foto: Lourenço Monte/Divulgação

O premiado autor e diretor Pedro Kosovski estreia nesta sexta-feira (06), às 19h, no Sesc Copacabana, um trabalho mais do que especial. “Tripas” nasceu a partir de um drama de dois anos atrás, quando seu pai, o ator, diretor e professor Ricardo Kosovski foi internado repentinamente com uma crise de diverticulite aguda. Nove meses de internação e três cirurgias depois, eles decidiram viajar pelo mundo, conhecendo lugares como o Golfo de Ácaba, que fica na fronteira entre Israel, Egito, Jordânia e Arábia Saudita, o que começou a dar formas ao espetáculo.

– É uma história muito forte, eu quase morri. Quando passou, resolvemos voltar às origens e viajamos para Tel Aviv, em Israel – lembra Ricardo, que está comemorando 60 anos de idade e 40 de carreira.

Em cena, Ricardo interpreta um homem preso na fronteira do golfo e cercado por observadores internacionais, que no caso, são os espectadores. A estes ouvintes, ele narra fragmentos de sua história e de seu filho.

– Teatro e hospital não combinam. O teatro está vivo, é o frescor da vida. Para falar da fronteira entre vida e morte, entre filho e pai, optei por esta fábula – explica Pedro, que em 2016 faturou os prêmios Shell, Cesgranrio e Aptr por seu texto em “Caranguejo Overdrive”.

Com um título que remete às entranhas, à jornada hospitalar e às profundezas do corpo, a peça leva memórias pessoais de pai e filho para o campo da ficção. Entre os relatos, por exemplo, estão a infância de Ricardo, em 1964, tempos de Golpe Militar, e 1984, ano das Diretas Já, quando Pedro tinha apenas um ano.