Secretaria Municipal de Cultura anuncia suspensão do edital para residência artística de seis teatros

Luiz Maurício Monteiro

A decisão de suspender o edital foi de Mariana Ribas, que assumiu assumiu a SMC no último dia 15 Foto: Divulgação

Reviravolta no imbróglio entre Secretaria Municipal de Cultura (SMC) e produtores culturais a respeito do novo edital de seleção para residência artística de seis teatros da prefeitura. Lançado há uma semana, no último dia 12, o documento desagradou a classe artística por uma série de novidades implementadas pela então secretária Nilcemar Nogueira, que deixou o cargo na sexta (15). Já na noite desta segunda (18), a nova responsável pela pasta, Mariana Ribas, recebeu representantes das atuais residências para uma reunião, na qual foi comunicada a suspensão do edital.

Na manhã desta terça, às 5h, a SMC publicou em seu site um aviso de adiamento da convocação para residência sine die, ou seja, sem uma data prevista para novidades. Já pouco depois de 9h, no mesmo portal e via e-mail para a imprensa, o órgão afirmou que está suspenso por tempo indeterminado o edital para ocupação dos espaços Teatro Serrador, Teatro Ipanema, Espaço Cultural Sergio Porto, Teatro Ziembinski, Sala Baden Powell e Teatro Café Pequeno. A decisão, inclusive, já foi publicada no Diário Oficial. Neste comunicado, a secretaria disse ainda que “outras informações serão oportunamente divulgadas no site e nas redes sociais da Secretaria Municipal de Cultura”.

Joelson Gusson esteve na reunião com a SMC Foto: Reprodução/Facebook

À frente da residência do Sérgio Porto desde 2010, o produtor Joelson Gusson foi um dos mais ferrenhos críticos ao novo modelo de edital. Nas redes sociais, ele e outros vários representantes da classe artística, incluindo integrantes do movimentos Mater e Reage, Artista, mostravam-se descontentes com algumas mudanças. Principalmente, com a concorrência de empresas de maior porte sem ligação com a área de cultura; o uso privado de teatros públicos; o curto prazo para os produtores prepararem e apresentarem uma proposta (oito dias); a falta de estrutura oferecida pela SMC, como, por exemplo, ausência de um corpo técnico.

Três dias após o lançamento do edital, veio a notícia da troca no cargo de secretária municipal de cultura. Os produtores viram com bons olhos a entrada de Mariana Ribas no lugar de Nilcemar Nogueira, com quem a classe não tinha uma relação das melhores desde que ela assumiu a pasta há dois anos, com o início do mandato do prefeito Marcelo Crivella.

— Acho super importante esta decisão porque demonstra a vontade de diálogo da secretária com as reivindicações da classe artística. E também porque isso pode ser melhor pensado e estruturado, com tempo para que as coisas aconteçam de forma mais transparente — ressalta o produtor Joelson Gusson, que compareceu à reunião na SMC, em beve conversa com o RIO ENCENA.

Confira na íntegra o comunicado da SMC sobre a suspensão do edital

A Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro suspendeu por tempo indeterminado o Edital de Seleção para Residência Artística para seis teatros da rede municipal. Os equipamentos culturais que fazem parte do edital são: Café Pequeno (Leblon), Ipanema, Sala Baden Powell (Copacabana), Serrador (Centro), Sérgio Porto (Humaitá) e Ziembinski (Tijuca). A decisão foi publicada no Diário Oficial nesta terça-feira, 19 de fevereiro de 2019. Outras informações serão oportunamente divulgadas no site e nas redes sociais da Secretaria Municipal de Cultura.

PUBLICIDADE