‘Saudade’, solo baseado em reflexões do próprio protagonista, estreia em espaço no Centro

Do Rio Encena

Marcos Bruno Cunha deixou sua cidade natal para tentar a carreira artística Foto: Daniel Barboza/Divulgação

O ator Marcos Bruno Cunha está estreando o monólogo “Saudade”, o primeiro de sua carreira, inspirado em seus próprios questionamentos e reflexões. A curta temporada começa nesta sexta-feira (03), às 20h, no Terreiro Contemporâneo, espaço cultural localizado no Centro, e vai até o próximo dia 25, com apresentações também aos sábados, no mesmo horário. O ingresso custa R$ 20 (inteira).

Escrito por Adanilo, dramaturgo, ator e encenador amazonense, o espetáculo trata, como o título já adianta, deste sentimento que acompanhou Marcos Bruno de perto nos últimos três anos. Em meados de 2015, ele deixou Fortaleza, sua cidade natal, para realizar o sonho de viver da arte. Já no Rio de Janeiro, a tal saudade passou a se fazer presente insistentemente.

Vez ou outra, o ator sentia falta de quem e o quê deixou para trás a fim de realizar seu sonho. Nestes momentos, se questionava se estava valendo a pena seguir em frente. Entretanto, à certa altura, Marcos passou a aprender com a própria saudade que os caminhos que são percorridos podem ser mais importantes do que o próprio lugar onde se quer chegar.

Dirigido por Anselmo Vasconcelos, o espetáculo Ritual Dança e Canto, como é classificado pela equipe, trata a saudade como pretexto para se viver as próprias sensibilidades, as do outro e do todo, buscando sempre um olhar poético para cada detalhe.