‘Race’ reestreia no Teatro Ziembinski propondo reflexão sobre questões como busca por poder e racismo

Do Rio Encena

Heloisa Jorge, Gustavo Falcão (E) e Leandro Vieira em cena de “Race” Foto: Gerado Junior/Divulgação

O espetáculo “Race” volta a discutir questões como pré-julgamento, racismo e busca pelo poder neste fim de semana. Encenado pelos atores Heloisa Jorge, Gustavo Falcão, Clovis Gonçalves e Leandro Vieira, o drama traduzido do original do norte-americano David Mamet reestreia no sábado (14), às 20h, no Teatro Ziembinski, na Tijuca. Haverá sessões também aos domingos, no mesmo horário, até 29 deste mês, com entradas a partir de R$ 20 (meia).

Parte de uma trilogia de textos de Mamet – que inclui ainda as montagens de “Oleanna” (2014) e “Hollywood” (2017) -, “Race” (2015) escancara os bastidores de um escritório de advocacia onde está sendo construída a defesa de um homem branco acusado de estuprar uma jovem negra. Da maneira como são colocados, os diálogos entre os advogados – uma negra, um negro e um branco – e as reviravoltas da trama dão ao público a liberdade para diferentes interpretações daquela situação.

Ao fim de cada apresentação, os atores e o diretor Gustavo Paso abrem um debate sobre temas abordados em cena, convidando os espectadores para opinarem.

PUBLICIDADE