‘Quero ser Regina’ estreia no Glauce Rocha questionando o sucesso e os altos e baixos da carreira artística

Do Rio Encena

Paula Goja atua e assina o texto do monólogo tragicômico Foto: Luís Carlos Teixeira/Divulgação

Idealizado, protagonizado e escrito por Paula Goja, o monólogo “Quero ser Regina” conta para o público em geral um pouco do lado menos glamouroso do universo artístico. Com estreia marcada para essa quarta-feira (03), às 19h, no Teatro Glauce Rocha, no Centro, a tragicomédia, dirigida por Cristiana Pompeo, questiona a subjetividade do sucesso e a trajetória quase sempre espinhosa percorrida pelos atores em busca do que é chamado de reconhecimento profissional. Para isso, Regina Duarte que é mencionada logo no título, foi escolhida para ser referência e fio condutor para a peça.

Ainda longe de se torna uma espécie de namoradinha do Brasil, como ficou conhecida Regina Duarte, a personagem Paola se vê prestes a desistir da carreira de atriz. Durante diversas situações tragicômicas e delírios existenciais, ela se questiona se vale ou não a pena seguir em frente. Estes dilemas, aliás, são exemplos de que a arte pode, sim, imitar a vida.

– A peça traz muitas das minhas experiências. É uma comédia muito sensível, pois fala do ofício de ser atriz. Retrata as angústias de quem não consegue exercer a própria profissão e a ansiedade da espera por uma oportunidade – complementa Paula Goja.

O espetáculo fica em cartaz até 31 de agosto, com apresentações também às quintas, no mesmo horário das 19h. A entrada sai por R$ 30 (inteira).