‘Profetas da Chuva – Chico Mariano e Paroara’ leva tradição da cultura nordestina ao Teatro Candido Mendes

Do Rio Encena

Clara Santhana (E) e Paulinha Cavalanti fizeram a pesquisa que originou a peça Foto: Guga Melgar/Divulgação

Uma cultura de longa data dos estados nordestinos será levada ao palco do Teatro Candido Mendes, em Ipanema, a partir desta sexta-feira (22). Com direção de Isaac Bernat, o espetáculo “Profetas da Chuva – Chico Mariano e Paroara” estreia às 20h contando um pouco mais sobre a tradição da previsão do tempo feita a partir da observação da natureza. A peça segue em cartaz até 29/07, com sessões também aos sábados, no mesmo horário, e domingos, às 19h.

O espetáculo nasceu de uma pesquisa feita pelas próprias atrizes e autoras Clara Santhana e Paulinha Cavalcanti, que foram às cidades cearenses de Quixadá e Quixeramobim, onde moram os profetas mencionados no título. Eles são alguns dos atuais representantes desta atividade, reverenciada pelas comunidades e repassada através de gerações, que tem o objetivo de alertar a população sobre as condições climáticas que estão por vir.

— Falar dos Profetas da Chuva é experimentar no corpo um conhecimento vivido por muitas gerações. Eles têm palavras profundas e certeiras sobre a vida. São sábios. Com seus olhos maduros, observam os sinais da natureza e fazem um balanço do que está por vir. A população estremece ao ouvir suas previsões — enaltece Clara Santhana, que já trabalhou com Bernat no musical “Deixa Clarear, Musical sobre Clara Nunes”, que vem de cinco anos em cartaz.

No palco, a dupla conversa sobre a vida, suas experiências e seus métodos para a previsão meteorológica. Com bom humor e música tocada ao vivo, elas buscam uma proximidade maior com o público, que funciona como a comunidade acompanhando as previsões dos Profetas da Chuva.

PUBLICIDADE