Prêmio Shell: homenagens a Marielle Franco e discursos engajados marcam 31ª edição; veja lista de vencedores

Luiz Maurício Monteiro

Todos os vencedores da noite se reúnem no palco após a festa Fotos: Agência Edelman/Divulgação

O 31º Prêmio Shell de Teatro teve um vencedor diferente para cada uma das nove categorias. Porém, não será tal equilíbrio a ficar marcado na lembrança de quem compareceu à cerimônia realizada na noite desta terça-feira (12), no Copacabana Palace. Discursos engajados e homenagens à vereadora Marielle Franco deram o tom da festa que premiou cada vencedor com a quantia de R$ 8 mil, além da famosa concha dourada que representa a marca da patrocinadora da premiação.

Apresentada pela dupla Vilma Melo e Marcos Caruso (vencedores na 29º edição do prêmio), a cerimônia teve muitas menções à Marielle, muito por conta da proximidade da marca de um ano de seu assassinato (nesta quinta), mas também pela prisão dos suspeitos do crime, que ocorrera na manhã da mesma terça.

Entre os vencedores das principais categorias, André Lemos, como Direção por “Esperança na Revolta”, e Nena Inoue, que levou Atriz por “Para não Morrer”, exaltaram o nome da vereadora. Curiosamente, ambos foram contemplados por espetáculos que falam de violência.

— Hoje (terça) foi o dia que descobrimos quem deu tiro numa das vereadoras mais votadas da história desta cidade. Mas não queremos só isso. Queremos saber quem mandou matar. Resistência preta! — bradou André, orgulhoso por ter sido o primeiro diretor preto a ganhar o Shell.

— Quarta (13), faz um ano da morte de Marielle. E farei uma apresentação em São João del Rei (MG) por ocasião do assassinato. A gente tem que falar, tem que lembrar do que somos feitos. Para que nunca mais aconteça — acrescentou Nena, anunciada logo depois de Otto Jr., que levou como Ator, por “Tebas Land”.

Outro que lembrou dos avanços significativos nas investigações da morte da vereadora foi o diretor Aderbal Freire Filho, o homenageado deste ano. Após assistir imagens de trabalhos seus serem exibidas no telão ao longo da festa, ele foi chamado ao palco para fazer seu discurso e encerrou torcendo para que os mandantes sejam descobertos.

— Quem sabe a gente descubra que mandou… Marielle presente! — disse o diretor, que fez um dos discursos mais marcantes da noite.

Aderbal criticou o presidente Jair Bolsonaro, falando em “ataque a artistas” e em “grandeza da ignorância” em relação à política pública voltada para a cultura. Além do atual mandatário do governo federal, Luis Inácio Lula da Silva também foi mencionado, com o famoso “Lula livre!”.

Homenageado do ano, Aderbal Freire Filho apresentou um discurso afiado

Além do viés político, as manifestações falaram também em respeito e igualdade. Diretora de “A Invenção do Nordeste”, Quitéria Kelly subiu ao palco ao lado de Henrique Fontes, que ganhou o prêmio de Dramaturgia ao lado de Pablo Capistrano. Ela, que também citou Lula, aproveitou para exaltar a região mais populosa do país.

Já Reinaldo Júnior, um dos idealizadores do Coletivo 2ª Black, vencedor do prêmio Inovação, foi ao palco também como um dos criadores de “Esperança na Revolta”, quando Andre Lemos foi anunciado melhor diretor. Nesta oportunidade, o ator falou das falou sobre preconceito.

— Este prêmio vem para os favelados… Por que estamos neste hotel de luxo, mas não temos muito o que comemorar. Porque daqui a algumas horas, a festa acaba, as luzes se apagam, alguns voltam para os seus apartamentos, e poucos voltam para guetos e Baixada — destacou.

Confira abaixo um vídeo com trechos de alguns discursos da noite e a lista completa de vencedores.

ILUMINAÇÃO
Elisa Tandeta por “Um Tartufo”
FIGURINO
Ney Madeira e Dani Vidal por “Bibi – Uma Vida em Musical”
MÚSICA
Pedro Luís, Larissa Luz e Antônio Adnet por “Elza”
CENÁRIO
Doris Rolemberg por “A Última Aventura é a Morte”
INOVAÇÃO
Coletivo 2ª Black por criar um espaço de encontro, pesquisa, troca de saberes e apresentações de experiências cênicas de artistas negros.
DRAMATURGIA
Henrique Fontes e Pablo Capistrano por “A Invenção do Nordeste”
DIREÇÃO
André Lemos por “Esperança na Revolta”
ATOR
Otto Jr. por “Tebas Land”
ATRIZ
Nena Inoue por “Para não Morrer”

Nena Inoue venceu a categoria Atriz por “Para não Morrer”

Otto Jr. foi eleito melhor Ator por “Tebas Land”

André Lemos ganhou como Direção por “Revolta na Esperança”

PUBLICIDADE