Prêmio Molière: ‘Oscar do teatro brasileiro’ volta em 2018 com novidades

Do Rio Encena

Uma estatueta com o busto de Molière era dada aos vencedores (Reprodução)

Considerado o “Oscar do teatro nacional”, o cobiçado e conceituado Prêmio Molière está de volta em 2018. Realizada entre 1963 e 1994, quando foi interrompida, a premiação terá uma cerimônia em São Paulo no mês de novembro e outra no Rio de Janeiro, em dezembro, para celebrar os melhores do teatro nestas cidades entre 2015 e 2017. O acordo para a retomada do prêmio, segundo o jornal O Estado de São Paulo, foi feito na França pelo produtor cultural Francisco Britto, que assinou o direito de uso do nome do autor francês Molière (1622-1673) no Brasil. E novidades vêm por aí!

Uma mudança significativa é o número de categorias, que foi de seis para 12. A partir de 2018, serão contemplados os melhores como Ator, Atriz, Diretor, Atriz Coadjuvante, Ator Coadjuvante, Cenógrafo, Figurinista, Iluminação, Espetáculo, Teatro infantil, Musical e Revelação do ano.

Além disso, há um projeto de se estender a marca do Prêmio Molière no Brasil, com a implementação de um portal na Internet, exposições e documentários. Já em relação à premiação, ainda não há novidades anunciadas. Antes da paralisação, a premiação oferecia a cada vencedor uma estatueta com o busto de Molière e uma viagem de ida e volta à França.

Desde que foi criado há mais de 50 anos, o Molière consagrou grandes nomes do teatro brasileiro como Cleyde Yáconis (1923-2013), Marília Pêra (1943-2015), Flávio Rangel (1934-1988) e Paulo Autran (1922-2007), entre outros. Outros destaques são Antunes Filho e Fernanda Montenegro, com cinco troféus cada, e Ítalo Rossi (1931-2011), que emendou três conquistas consecutivas em 1985, 1986 e 1987.

PUBLICIDADE