Prêmio do Humor 2018: ‘A Vida não é um Musical’ é líder de indicações e Berta Loran, a homenageada

Do Rio Encena

“A Vida não é um Musical” recebeu um total de seis indicações na edição 2018 do Prêmio do Humor Foto: Divulgação

A organização do Prêmio do Humor anunciou nesta quarta-feira (19) os indicados da edição 2018. Idealizada por Fábio Porchat com o intuito de valorizar a comédia nos palcos, a premiação, que está sendo realizada apenas pela terceira vez, tem como destaque neste ano “A Vida não é um Musical – O Musical”, citado em todas as cinco categorias – confira a lista completa no fim da página.

Berta  Loran Foto: João Miguel Jr./Divulgação

O espetáculo – que satiriza o mundo encantado da Disney, a política brasileira e o próprio gênero musical – concorre nas seguintes frentes: Texto (Leandro Muniz), Direção (João Fonseca e Leandro Muniz), Peça, Categoria especial (pelas músicas de Fabiano Krieger) e Performance. Esta última, aliás, chamou atenção pelo número de concorrentes acima da média. Além de Daniela Fontan e Marcelo Nogueira representando “A Vida não é um Musical”, estão na briga outros seis artistas, entre eles, Zéu Britto e Rodrigo Sant’anna, representantes de “Delírios da Madrugada” e “Tô de Graça”, respectivamente.

Todas as indicações foram definidas pelos votos do júri formado pelos seguintes nomes: Aloísio de Abreu, Sura Berditchevsky, Claudio Torres Gonzaga, Benvindo Sequeira e Rafael Teixeira.

Além do anúncio dos vencedores – que receberão a quantia de R$ 5 mil, cada –  a próxima cerimônia de premiação do Prêmio do Humor – que está programada para março do ano que vem, mas ainda sem local definido – fará também uma homenagem à atriz e comediante, Berta Loran, de 92 anos, sendo mais de 75 deles dedicados ao teatro e à televisão.

Novidade

Por falar em homenagem, Berta Loran não será a única a receber tributo do Prêmio do Humor em 2019. Pela primeira vez, assim como o mais tradicional Prêmio Shell, o Prêmio do Humor será realizado também em São Paulo, a fim de premiar os espetáculos encenados na capital paulista. Por lá, onde também estarão em disputa cinco categorias, o homenageado será o apresentador, escritor, diretor, ator e humorista Jô Soares, de 80 anos.

Texto
Henrique Fontes e Pablo Capistrano por “A Invenção do Nordeste”
Pedro Brício por “O Condomínio”
Zéu Britto por “Delírios da Madrugada”
Leandro Muniz por “A Vida Não É um Musical — O Musical”

Direção
Quitéria Kelly por “A Invenção do Nordeste”
Pedro Brício e Alcemar Vieira por “O Condomínio”
João Fonseca e Leandro Muniz por “A Vida Não É um Musical — O Musical”

Peça
“A Invenção do Nordeste”
“O Condomínio”
“Delírios da Madrugada”
“A Vida Não É um Musical — O Musical”

Performance
“Mateus Cardoso por “A Invenção do Nordeste”
Pedroca Monteiro por “O Condomínio”
Zéu Britto por “Delírios da Madrugada”
Isabelle Marques por “Tô de Graça”
Daniela Fontan por “A Vida Não É um Musical — O Musical”
Marcelo Nogueira por “A Vida Não É um Musical — O Musical”
Izabella Van Hecke por “Super Moça”
Rodrigo Sant’Anna por “Tô de Graça”

Categoria especial
Zéu Britto pelas músicas da peça “Delírios da Madrugada”
Miguel Falabella pela adaptação em versos da peça “Mordidas”
Fabiano Krieger pelas músicas da peça “A Vida Não É um Musical – O Musical”

Homenageada
Berta Loran

PUBLICIDADE