Prêmio Cesgranrio: com prêmio de melhor ator dividido e críticas ao prefeito, cerimônia consagra ‘Suassuna’ e ‘Tom’

Luiz Maurício Monteiro

Equipe de ‘Suassuna’ recebe prêmio de Melhor Espetáculo Fotos: Luiz Maurício Monteiro

Considerada a mais importante categoria de uma premiação, a de Melhor Espetáculo foi também decisiva na cerimônia do V Prêmio Cesgranrio de Teatro, realizada na noite desta terça-feira, no Copacabana Palace. Os espetáculos “Suassuna – O Auto do Reino do Sol” e “Tom na Fazenda” chegaram a este derradeiro anúncio com três prêmios cada, ao que o primeiro, uma produção da Cia. Barca dos Corações Partidos”, acabou sendo citado para sair como o maior vencedor dentre aqueles que estrearam nos palcos cariocas em 2017 – as indicações foram do júri formado por Macksen Luiz, Jacqueline Laurence, Carolina Virgüez, Daniel Schenker, Rafael Teixeira, Lionel Fischer e Tânia Brandão.

Além de Melhor Espetáculo, “Suassuna”, que faz uma homenagem ao dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna (1927-2014), foi eleito também Melhor Figurino (Kika Lopes e Heloísa Stockler); Ator em Teatro Musical (Adren Alves); e Direção Musical (Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho). Em seguida, “Tom” saiu como Cenografia (Aurora dos Campos); Direção (Rodrigo Portella) e Ator, categoria que, curiosamente, foi dividida por seus dois atores, Armando Babaioff, idealizador da peça, e Gustavo Vaz. Já a decepção da noite ficou com “Zeca Pagodinho – Uma História de Amor ao Samba”, que chegou com oito indicações, mas não levou nenhuma.

Ainda sobre a dobradinha dos atores de “Tom na Fazenda”, foi de Babaioff o primeiro discurso mais inflamado da noite. Ao lado do companheiro de palco, ele agradeceu o prêmio, mas aproveitou para fazer um desabafo:

Babioff (D) brinca com Gustavo Vaz, com quem dividiu o prêmio de Melhor Ator por “Tom na Fazenda”

— A gente já dividiu dívida, então dividir prêmio é fácil! Pegamos um empréstimo para produzir uma outra peça, e ficamos mais de um ano pagando essa dívida. Então, dividir este prêmio vai ser fácil — enfatizou o ator, para em seguida falar rapidamente falar sobre assuntos como resistência no teatro e homofobia e também erguer um cartaz, que sempre exibe após as sessões de “Tom”, com os dizeres “Amar sem Temer”, numa clara alusão ao presidente Michel Temer.

Outra que aderiu a um discurso politizado foi a experiente Guida Vianna, que ganhou como melhor atriz por “Agosto”. A experiente artista, de 63 anos idade e 40 de carreira, lamentou a dificuldade de se fazer teatro no Brasil, especialmente no Rio de Janeiro, dando seu próprio caso como exemplo.

— Esse prêmio que ganhei equivale a dois meses de ensaios e quatro de temporada. São seis meses de trabalho! — exclamou, aplaudida de pé, antes de prosseguir: — E ainda vamos ter que sobreviver a mais três anos de (Marcelo) Crivella (prefeito do Rio), porque não vai ser fácil.

A Orquestra Cesgranrio e a dupla de apresentadores Christiane Torloni e Eduardo Moscovis

O prêmio ao qual Guida se referiu é o maior do teatro brasileiro, oferecido pela Fundação Cesgranrio. Um total de R$ 300 mil distribuído entre os ganhadores de cada uma das 12 categorias, ou seja, R$ 25 mil para cada um, além de um troféu feito pelo artista plástico Yutaka Toyota.

Homenagem e projetos

Diante de uma plateia de cerca de 500 pessoas, entre indicados e convidados, a dupla Christiane Torloni e Eduardo Moscovis apresentou a cerimônia, dividindo o palco com a Orquestra da Cesgranrio, que fazia intervenções musicais antes do anúncio de cada vencedor.

Como de praxe, um grande nome do teatro brasileiro foi homenageado. O artista da vez foi Antonio Fagundes, que recebeu do professor Carlos Alberto Serpa, presidente da fundação, a Medalha de Honra Cesgranrio. Já no tributo póstumo, foram exibidas nos telões fotos de artistas que faleceram no ano passado, como Marcos Tumura, Paulo Silvino, Rogéria, Márcia Cabrita, Nelson Xavier, Eva Todor e Solange Badim, entre outros.

Ao subir ao palco para entregar a medalha a Fagundes, o professor Serpa aproveitou para falar sobre alguns projetos da fundação – que inclusive já tinham sido anunciados pelos apresentadores no início da cerimônia. Entre as novidades, estão o Prêmio Cesgranrio de Dança, com previsão para ocorrer em março; o lançamento do Curso Superior de Artes Cênicas, que já está sendo analisado pelo MEC (Ministério da Educação); e um novo teatro (este já tinha sido falado em outras ocasiões) no Rio Comprido, onde fica também a sede da fundação e o Teatro Cesgranrio, inaugurado em maio de 2016.

Confira a lista completa dos vencedores da quinta edição do Prêmio Cesgranrio:

Melhor Figurino
Kika Lopes e Heloísa Stockler por “Suassuna ´O Auto do Reino do Sol”

Melhor Cenografia
Aurora dos Campos por “Tom na Fazenda”

Melhor Iluminação
Maneco Quinderé por “Hamlet – Som e Fúria”

Melhor Ator
Armando Babaioff e Gustavo Vaz por “Tom na Fazenda”

Melhor Ator em Teatro Musical
Adren Alves por “Suassuna – O Auto do Reino do Sol”

Categoria Especial
Roberto Guimarães pela atuação como programador do Teatro Oi Futuro

Melhor Atriz
Guida Viana por “Agosto”

Melhor Atriz em Teatro Musical
Carol Fazu por “Janis”

Melhor Direção
Rodrigo Portella por “Tom na Fazenda”

Melhor Direção Musical
Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho por “Suassuna – O Auto do Reino do Sol”

Melhor Texto Nacional Inédito
Grace Passô por “Mata teu pai”

Melhor Espetáculo
Suassuna – O Auto do Reinodo Sol”

PUBLICIDADE