Premiado espetáculo ‘Gritos’ entra em cartaz após um ano para curta temporada no Teatro Dulcina

Do Rio Encena

Artur Luanda Ribeiro atua e assina direção e dramaturgia do espetáculo Foto: Renato Mangolin/Divulgação

Um dos espetáculos mais bem sucedidos de 2016 está de volta ao Rio de Janeiro após um ano. Produção da companhia franco-brasileira Dos à Deux, “Gritos”, que recebeu seis prêmios nas principais premiações do teatro carioca, começa uma curta temporada nesta sexta-feira (02), às 19h, no Teatro Dulcina, no Centro, onde fica só até 11 de março.

A peça de teatro gestual, que tem atuação, direção, dramaturgia e concepção da dupla André Curtis e Artur Luanda Ribeiro, fez recentemente uma turnê de 10 meses por unidades do CCBB de cidades como São Paulo, Brasília e Belo Horizonte – totalizando 120 sessões. A estreia, porém, foi aqui no centro cultural aqui do Rio, em novembro do ano retrasado, marcando o início de uma temporada que a credenciou a disputar e ganhar premiações importantes como Shell (duas indicações e um prêmio), Cesgranrio (quatro indicações e dois prêmios), Aptr (quatro indicações e três prêmios) e Botequim Cultural (oito indicações).

“Gritos” reúne três poemas gestuais metafóricos que são apresentados através de uma partitura sutil e minuciosa. A partir dos tema amor, comum aos três números, André Curtis e Artur Luanda Ribeiro tratam das pessoas invisíveis na sociedade, de preconceito, de desprezo e dos refugiados da guerra.

Com larga experiência em teatro gestual, a dupla, que se conheceu durante um festival em Paris, em 1997, transforma, neste espetáculo, seus próprios corpos em bonecos de proporções humanas, como se estivessem refletidos no espelho. Para passar realismo ao trabalho, André e Artur convidaram a marionetista russa Natacha Belova e o brasileiro Bruno Dante, que esculpiram em gesso e outros materiais partes dos corpos dos artistas, como cabeça, mãos, pés e braços.

PUBLICIDADE