Ocupação Miúda leva teatro, dança, cinema e performance ao Espaço Sergio Porto até o fim de abril

Do Rio Encena

Núcleo Miúda, que ocupa o Sérgio Porto até 30 de abril Fotos: Francisco Costa/Divulgação

O Espaço Sérgio Porto, no Humaitá, recebe a partir dessa sexta-feira (31) o Miúda 2017, ocupação que reúne teatro, dança, música, cinema, exposição e performance. O evento, que vai até 30 de abril, tem entrada franca para as três exposições, o longa-metragem e a mesa de diálogo. Já para os cinco espetáculos e os dois shows, o ingresso fica por R$ 40 (inteira). Confira a  programação completa no fim da matéria ou clicando aqui.

O evento é um recorte do trabalho de 13 jovens artistas de diferentes áreas que formam o núcleo Miúda, fundado em 2009. Desde então, eles desenvolvem uma pesquisa em dramaturgia através do corpo, integrada com as diferentes artes presentes no projeto. Entre as questões abordadas pelo grupo, estão política, cidade, casa, corpo, independência, identidade, diferença, sexualidade e direitos fundamentais.

– A ocupação é uma chance de mostrar nosso trabalho continuado, o amadurecimento de algumas questões e o aparecimento de outras que ainda são novas para o coletivo. Quando se pesquisa em grupo, o tempo de trabalho tende a ser mais horizontal se comparado a uma pesquisa pessoal – observa Caio Riscado, diretor da ocupação e protagonista de uma das atrações da ocupação, o solo performático “Sonho Alterosa.

Diretor da ocupação, Caio Riscado atura no solo performático “Sonho Alterosa”

SERVIÇO

Local: Espaço Cultural Municipal Sergio Porto
Endereço: Rua Humaitá, Nº 163 – Humaitá.
Telefone: (21) 2535-3846/2535-3927
Período: 31/03 a 30/04
Entrada: espetáculos e shows – R$40 (inteira); R$20 (meia); exposições, filme e mesa de diálogo – grátis
Funcionamento da bilheteria: Quarta a segunda entre 17h e 21h
Capacidade: 130 lugares

ESPETÁCULOS

CACO – possível produção de memória para o espaço da casa
Sessões: Sexta (31/03) a domingo (02/04) às 20h30
Duração: 75 minutos
Capacidade: 98 lugares
Classificação: Livre
Gênero: Drama
Sinopse: Pelo olho mágico da porta, observa-se o outro na tentativa de encontrar-se consigo mesmo. A peça retrata a delicada passagem da adolescência para a idade adulta. Sexualidade, casamento, vícios, perda, gravidez e o medo do futuro são alguns dos temas que compõem a dramaturgia. Explorando as fronteiras entre a realidade e a ficção, nove atores buscam realizar o objetivo proposto pelo próprio título da peça, ou seja, produzir memória para o espaço da casa. Não há personagens. Os atores são como vozes que transitam por diferentes figuras. Na montagem, a casa e a família são enfatizados como espaços afetivos e não físicos. Caco apresenta-se na tentativa de retratar uma só casa permeada com habitantes de diferentes constituições psíquicas.

“Cavalos e Baias”
Sessões: Sexta (07/04) a domingo (09/04) às 20h30
Duração: 60 minutos
Capacidade: 98 lugares
Classificação: Livre
Gênero: Dança
Sinopse: Sobre a animalização do indivíduo no espaço urbano. Sobre cavalos, amores e o fim deles.

“Pequeno Quadro Público”
Sessões: Sexta (14/04) a domingo (16/04) às 20h30
Duração: 60 minutos
Capacidade: 98 lugares
Classificação: 16 anos.
Gênero: Teatro experimental
Sinopse: Pequeno Quadro Público é ação teatral que experimenta três referências básicas: um quadrado de fita crepe marcado no chão, um coletivo de artistas pesquisadores interessados na relação teatro-performance, corpo-cidade, estética-política, e a possibilidade de inovar cidades e seus modos fantásticos de relação. A geometria do quadrado e o conceito de jogo são parâmetros norteadores para a construção de um espetáculo marcadamente corporal.

“MÓ”
Sessões: Sexta (21/04) a domingo (23/04) e sexta (28/04) a domingo (30/04) às 20h30
Duração: 60 minutos
Capacidade: 98 lugares
Classificação: 16 anos
Gênero: Dança
Sinopse:  MÓ é um espetáculo de dança surgido da residência Thereza Rocha + MIÚDA, realizada em outubro de 2015 a convite de Marcia Rubin e César Augusto, curadores do Festival Dança Gamboa. Criado a partir do entendimento do movimento como ação performativa, o espetáculo investe, através do corpo e sua potência vibrátil, em construções de estados individuais e coletivos. Da movimentação dos performers à arquitetura construída pelo posicionamento de seus corpos, os espectadores são convidados a questionar, por exemplo, as noções de coletivo, grupo, bando, tribo, e, por fim, comunidade.

“Sonho Alterosa” (*na Galeria Marcantônio Vilaça 1)
Sessões: Quintas (06, 13 e 20/04) às 20h30,
Duração: 60 minutos
Capacidade: 30 lugares
Classificação: 16 anos
Gênero: Performance
Sinopse: Idealizado e dirigido por Caio Riscado, o solo performático Sonho Alterosa é resultado de três anos de pesquisas práticas e teóricas, iniciadas no mestrado e continuadas no doutorado do artista-pesquisador. Influenciado e fascinado pelas figuras femininas apresentadas em filmes como Cinderela, Branca de Neve, O Corcunda de Notre Dame, A Bela e a Fera e A Bela Adormecida, o ator iniciou uma pesquisa investigando sua homossexualidade, sua travestilidade infantil e o seu sonho de ser princesa, ao mesmo tempo que se debruça sobre os valores morais e sociais embutidos nos contos de fadas tão emblemáticos para milhões de crianças.  O projeto apresenta também um desdobramento musical, com cinco letras compostas por Riscado, produzidas por Philippe Baptiste e gravadas por novas vozes da música brasileira como Juliana Linhares e Rafael Lorga (ambos da Pietá), Bel Baroni, Caio Prado, Duda Brack e Tyaro Maia (Agytoê).

EXPOSIÇÃO, SHOWS, CINEMA E MESA DE DIÁLOGO

Show Quando Brinca – BEL
Dia: 5 de abril, quarta, às 20h30.
Capacidade:  98 lugares. Duração: 50 minutos.  Classificação Indicativa: Livre.

Show Iara Ira – Duda Brack, Júlia Vargas e Juliana Linhares
Dia: 12 de abril, quarta, às 20h30.
Capacidade: 98 lugares. Duração: 80 minutos.  Classificação Indicativa: Livre.
Exposições Sonho Alterosa, vídeos do núcleo Miúda e exibição de desenhos de Aline Vargas
Temporada: de 31 de março a 30 de abril, na Galeria Marcantônio Vilaça 1 e no foyer
Dias e horários: quinta, das 16h às 20h, sexta a domingo, das 17h às 21h.
Entrada franca.

Filme Maquete
Dias: 8 e 9 de abril, às 18h.
Capacidade: 98 lugares. Duração: 70 minutos.
Classificação Indicativa: Livre.
Entrada franca. Distribuição de senhas uma hora antes.

Mesa de diálogo
Como viver juntos – uma conversa em dança
Dia: 22 de abril, às 16h
Capacidade: 98 lugares
Classificação Indicativa: Livre. Entrada franca. Distribuição de senhas uma hora antes.

* Segundo informações do teatro e/ou da produção do evento

PUBLICIDADE