Ocupação leva espetáculos ‘Blackbird’ e ‘Para Onde ir’ ao Teatro Glauce Rocha

Do Rio Encena

“Para Onde ir” (acima) e “Blackbird” estão na ocupação Fotos: Lu Valiatti e Victor Damasceno/Divulgação

O monólogos “Para Onde ir” e o drama “Blackbird” são as atrações da ocupação “Glauce de Portas Abertas”, que fica no Teatro Glauce Rocha, no Centro, em outubro e novembro. Ambos os espetáculos pertencem à Cia. de Teatro Te-Un TEATRO, fundada pelos artistas Viviani Rayes e Yashar Zambuzzi. O projeto, com ingressos a preços populares – a partir de R$ 15 – começa nessa quinta (05), às 19h, com a primeira apresentação do solo.

Em cena, Yashar, dirigido por Viviani – que é sua esposa – interpreta Marmieládov, personagem retirado das obras “Crime e Castigo” (1866), do escritor russo Dostoiévski e “Uma temporada no Inferno” (1873), do francês Arthur Rimbaud. Ele é um alcoólatra que acaba numa taberna após saber que fora demitido.

Aos poucos, já alcoolizado, vai compartilhando com outros clientes – no caso, os espectadores – os problemas que tem enfrentado. Entre os temas abordados, estão alcoolismo, desemprego, pobreza, miséria, violência contra a mulher, prostituição infantil, infanticídio e autodestruição são abordados.

Já na sexta (06), entra em cartaz “Blackbird”, escrito pelo escocês David Harrover com base num caso real de pedofilia. Dirigidos por Bruce Gomlesky, Yashar e Viviani vivem dois personagens que se reencontram 15 anos após uma relação amorosa ter sido consumada quando ele tinha 41 anos e ela, 12.

Com diálogos carregados de tensão, o espetáculo discute as consequências que podem atingir uma vítima de abuso sexual. Além disso, há ainda a proposta de refletir, com responsabilidade e sensibilidade, as várias formas de amar.

Além dos espetáculos, serão realizados também encontros, oficinas, workshops e um curso. Estas atividades são gratuitas e têm os mais diversos objetivos, como promover a inclusão de crianças e pessoas com deficiências no teatro; ensinar técnicas como iluminação e trilha sonora; e apresentar os processos artísticos e técnicos utilizados na criação dos espetáculos da Te-Un TEATRO.

– A ideia da ocupação é aproximar o público do Teatro Glauce Rocha, com uma programação de excelência, porque quanto mais o teatro expande os seus limites na direção de atingir o público através da percepção do fenômeno teatral em todas as suas partes, mais sólida e eficaz será a fidelização do seu público – complementa Viviani.