‘O princípio de Arquimedes’ tem bom texto e cenário; a montagem, mesmo não brilhante, foca em pontos certos

Péricles Vanzella

Péricles Vanzella

30 anos, é doutorando em Artes Cênicas pela Unirio, ator, sapateador e cantor.

“O princípio de Arquimedes”, do espanhol Josep Maria Miró e tradução de Daniel Dias da Silva, acontece dentro do vestiário de uma escolinha de natação. Já de cara, é interessante pela originalidade espacial. O tema, apesar de não tão original, é abordado de forma sensível e bem estruturada, com cenas que acontecem fora da ordem cronológica, que é constantemente retomada, como em um quebra-cabeça.

A trama traz um professor de natação acusado de pedofilia. Esta acusação emerge a partir de um boato criado por uma aluna, que teria visto este professor beijar a boca de outro aluno que estava com medo de tirar a boia na piscina.

A peça não esclarece se o boato é verdadeiro ou não; se o professor é um pedófilo ou não. Ainda que deixar a dúvida aberta seja interessante, o grande trunfo do texto é como o conflito se constrói, a partir de personagens elaborados e um processo lento, porém constante, de revelação.

A cenografia de Cláudio Bittencourt acerta muito! Constrói um espaço à italiana, mas que inverte o ponto de vista do espectador: é como se víssemos o vestiário primeiro de frente, depois pelos fundos. Esta é a tradução espacial perfeita da proposta da peça: ponderar os diferentes pontos de vista possíveis sobre a mesma história.

Os figurinos de Victor Guedes também acertam ao diferenciar os personagens a partir de sua indumentária. Simplificando muito: a quantidade de roupa aumenta conforme a “contenção” do personagem. Isto joga ainda mais tensão sobre o protagonista, acusado de pedofilia, que fica quase o tempo inteiro de sunga.

O ritmo do espetáculo é bom, mas os atores, de modo geral, deixam escapar diversas nuances. Ainda assim, o conflito central fica evidente, e a distinção fundamental entre o desprendimento do protagonista e a insegurança que este desprendimento gera naqueles que o rodeiam é uma forte conquista da montagem, que tem direção de Daniel Dias da Silva.

Um abraço e até domingo que vem!
Dúvidas, críticas ou sugestões, envie para pericles.vanzella@rioencena.com.br.

 

PUBLICIDADE