‘O Primeiro Musical a Gente Nunca Esquece’ acerta ao relembrar antigos jingles da TV

Péricles Vanzella

Péricles Vanzella

31 anos, é doutorando em Artes Cênicas pela Unirio, ator, sapateador e cantor.

Em cartaz no Theatro Net Rio, em Copacabana, “O Primeiro Musical a Gente Nunca Esquece” conta a história de um casal em crise, no qual o marido é dono de uma empresa de marketing e passa a maior parte do tempo focado no trabalho e na TV, enquanto a esposa, apaixonada por musicais, implora a sua atenção. A única solução que ela encontra para atrair o olhar do marido é através dos “jingles”.

O texto de Rodrigo Nogueira, apesar do ponto de partida frágil, acaba evoluindo bem. Torcemos pelo sucesso do casal ao mesmo tempo em que apreciamos a gostosa rememoração de campanhas publicitárias clássicas, como Parmalat, Brahma e Doriana. Funciona!

A cenografia de Jackson Tinoco é boa, cumprindo as duas funções a que se propõe (praticidade e ambientação de um apartamento), ainda que sem maiores destaques. A estrutura do cenário é praticamente toda branca e compõe-se de dois planos, ligados tanto por dentro do palco como pela coxia. Já a mobília (cozinha americana, sofá, planta) é bem colorida e caracteriza realisticamente o apartamento onde se desenrola toda a ação.

Os figurinos de Paula Acioly são mais ousados, principalmente para o coro, que foge da indumentária neutra habitual. Cada membro incorpora figuras específicas, o que gosto! Os cinco personagens principais tem roupas realistas, mas ainda assim algumas surpresas surgem, como a troca rápida e em cena da protagonista na música final.

As coreografias de Rodrigo Negri e Priscilla Mota são boas. Variadas e vigorosas, conseguem chamar a atenção sem a necessidade de um nível de dificuldade que deixe os atores desconfortáveis.

O elenco está equilibrado. Todos os atores do coro cantam e dançam bem. Dos cinco atores principais, Amanda Acosta e Marcelo Varzea têm rendimento abaixo de Reiner Tenente, Hugo Kerth e Bia Montez – esta irrepreensível (hilária em cada vírgula, é quem dá ritmo ao espetáculo).

“O Primeiro Musical a Gente Nunca Esquece” é um musical padrão: tem bons números musicais, com boas coreografias e a parte vocal sempre afinada. Também proporciona uma prazerosa volta ao passado, com “jingles” célebres de comerciais de 20, 30 anos atrás.
Para quem procura uma experiência mais especial, contudo, seja através de um enredo repleto de conflitos e reviravoltas, ou grandes atuações, ou uma identificação profunda com um personagem denso, ou mesmo um espetáculo musical de grande apelo visual, efeitos luminosos, etc., aqui não é o seu lugar.

Um abraço e até a próxima!
Críticas, dúvidas, sugestões ou elogios, escreva para pericles.vanzella@rioencena.com.br.

PUBLICIDADE