Novamente no papel de Simonal, Ícaro Silva espera vida longa para espetáculo intimista: ‘Podemos rodar o país’

Luiz Maurício Monteiro

Ícaro interpreta Simonal mais uma vez acompanhado pelas "Simonetes" Foto: Leo Aversa/Divulgação

Ícaro interpreta Simonal mais uma vez acompanhado pelas “Simonetes” Foto: Leo Aversa/Divulgação

Dois espetáculos diferentes, porém com um mesmo personagem central e um mesmo protagonista. Assim pode ser definido o paralelo entre “S’imbora, O Musical – a história de Wilson Simonal”, que estreou ano passado no Rio de Janeiro, e “Show em Simonal”, em cartaz no Teatro do Leblon desde o último fim de semana, com sessões de quinta a sábado às 21h e domingo, às 20h, até 02/10. Como os títulos já adiantam, ambos, cada um com suas características, contam a vida e a obra de Wilson Simonal (1939-2000), com interpretação de Ícaro Silva, que, por sua vez, torce para que as semelhanças não parem por aí.

Com uma estrutura de grande espetáculo, feito para plateias populosas, “S’imbora” foi assistido por mais de 100 mil pessoas em 2015, mas não conseguiu viajar muito além de capitais como Rio, São Paulo e Salvador. Animado com a boa recepção por onde a peça passou, o diretor Pedro Brício adaptou texto e encenação para criar “Show em Simonal”, este com um formato mais intimista e enxuto, o que fez com que a equipe criasse expectativas a respeito de turnês e sucesso maiores.

– Infelizmente, não tínhamos como levar o musical para todo lugar. Já esse show, por ter uma estrutura e uma equipe menores, pode ser apresentado em teatros menores ou maiores. É um show mais fácil de ser carregado. Por isso, penso que podemos atingir a mesma quantidade de público do “S’imbora” ou até mais. Isso porque muitas pessoas quiseram assistir, não conseguiram, mas agora vão ter mais uma oportunidade. Acho que podemos rodar o país – torce o ator, de 29 anos, em entrevista ao RIO ENCENA.

Aliás, quem não assistiu a “Símbora”, deixou de conferir um trabalho muito bem repercutido de Ícaro. Um dos elogios, inclusive, partiu do próprio Pedro Brício, que certa vez chegou a comentar que a performance do ator no musical foi um motivo forte que o fez trabalhar num novo projeto baseado em Simonal. Já Ícaro desconversa.

– Ouvi ele dizer isso, mas vejo como um trabalho de todos. “S’imbora” fez sucesso porque era um grupo muito a fim de fazer, eram pessoas especiais. Todos os artistas e técnicos trabalharam com muito carinho. Uma equipe apaixonada que fez bem – destaca, o ator, que em 15 anos de carreira acumula cerca de 10 peças teatrais no currículo.

Primeiro fim de semana

Acompanhado pelas atrizes Ariane Souza, Julia Gorman e Aline Wirley, que encarnam as Simonetes, e pelos músicos Ananda Torres (piano), Romulo Duarte (baixo) e Kim Pereira (bateria), Ícaro mostra versatilidade ao fazer não apenas Simonal, como também ele próprio na função de apresentador do show, além de interagir com a plateia.

E essa relação próxima, relembra ele, foi fundamental no fim de semana de estreia. Logo na primeira sessão, houve um problema com a mesa de som, mas como o público já estava à vontade com o “anfitrião”, a espera foi minimizada.

– A estreia foi linda, com aquele público típico de estreia, grandes amigos… Tivemos o problema no som, mas o pessoal foi generoso. Com a participação do público, fica mais fácil contornar problemas. E em todos os dias, a casa estava cheia – conta o ator, ressaltando que a figura do controverso cantor é outro trunfo para que o público siga comparecendo: – A plateia compra muito a proposta porque a obra do Simonal é maravilhosa, independentemente das dúvidas que a história dele pode levantar.

PUBLICIDADE