Morre no RJ o ator Caio Junqueira, aos 42 anos, uma semana após acidente

Do Rio Encena

O ator passou por cirurgias, mas não resistiu Foto: Reprodução/Internet

Morreu na manhã desta quarta-feira (23) o ator Caio Junqueira, aos 42 anos. Há exatamente uma semana, no último dia 16, o artista carioca sofreu um grave acidente de carro no Aterro do Flamengo e, desde então, estava internado no Hospital Miguel Couto, na Gávea. A Secretaria Municipal de Saúde informou o óbito às 5h15. Até a publicação desta nota, não havia informação sobre o velório.

Caio Junqueira dirigia sozinho pelo Aterro quando perdeu o controle do veículo, subiu o meio-fio, bateu em uma árvore e capotou. Ele ficou preso nas ferragens, desacordado, antes de ser socorrido. Os principais ferimentos foram numa das mãos e no tórax, que sofreu um trauma grave, que o fez perder muito sangue.

O ator começou a carreira aos sete anos de idade, no teatro. Seus trabalhos mais recentes nos palcos foram “Os Justos” (2005), de Albert Camus, e “Hamlet” (2008), de Shakespeare, com direção de Aderbal Freire-Filho.

Já na TV, participou de mais de 20 produções, entre elas o seriado “Tamanho Família” da extinta TV Manchete, seu primeiro trabalho na telinha, as novelas “Barriga de Aluguel”, “A Viagem” e “O Clone”, todas da TV Globo, entre outras.

Mas foi no cinema que Caio fez seu personagem mais famoso. Entre cerca de 10 curtas e 15 longas, ele atuou em 2007 como o aspirante Neto Gouveia, oficial recém-formado da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, no sucesso “Tropa de Elite”, ao lado de Wagner Moura e André Ramiro, e com direção de José Padilha.

Caio Junqueira era filho do também ator Fábio Junqueira (1956-2008) e irmão de Jonas Torres, que fez o personagem Bacana na série “Armação Ilimitada”, da Globo.

PUBLICIDADE