‘Martinho da Vila 8.0 – Uma Filosofia de Vida’ não faz jus ao lugar do cantor e de sua obra na história do samba

Péricles Vanzella

Péricles Vanzella

31 anos, é doutorando em Artes Cênicas pela Unirio, ator, sapateador e cantor.

Em cartaz no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, “Martinho da Vila 8.0 – Uma Filosofia de Vida” homenageia o cantor e compositor fluminense de estilo único. Mesmo com respeito e bela seleção de imagens, a peça deixa a desejar como espetáculo, musical ou não.

Em primeiro lugar, pois parece servir à história contada por projeções, e não o contrário. Não é um problema em si, mas passa a ser quando as cenas não se justificam, e mesmo as inserções musicais se dão de forma arbitrária. De modo geral, as cenas acontecem em um canto do palco, com dois atores conversando sobre um evento específico, tema da projeção anterior ou seguinte; o personagem de Martinho da Vila expõe algum incômodo, ou comunica alguma decisão, por vezes começa a cantarolar alguma de suas músicas mais conhecidas (cuja conexão com aquele momento é frágil), a luz apaga e entra nova projeção. Esse processo se repete por todo o espetáculo.

Em segundo lugar, as músicas estão em “playback”, o que dá um passo atrás em relação à maior parte dos musicais cariocas, sobretudo aqueles dedicados a grandes nomes da música. Somando-se a não interação com a cena que está acontecendo, não dá para ser chamado de musical.

Isto posto, vale destacar um ponto positivo: as projeções. Linha guia da peça, quem de fato conta a história da vida de Martinho da Vila sob a perspectiva do espetáculo. O teor privado das imagens dá o tom de homenagem e expressa a conexão com a pessoalidade de Martinho da Vila, o que encanta quem gosta/acompanha sua carreira.

O elenco fica prejudicado pela quase inexistência de enredo para as cenas. Ana Miranda merece destaque como Dona Teresa de Jesus, mãe de Martinho, assim como William Vita, que, mesmo com pequena participação, é um respiro de organicidade e comicidade.

Um abraço e até domingo que vem!
Dúvidas, críticas ou sugestões, envie para pericles.vanzella@rioencena.com.br.

PUBLICIDADE