Inspirada em Clarice Lispector e Caio Fernando Abreu, peça estreia no Café Pequeno falando sobre relações humana

Do Rio Encena

Monnica Emilio (D) acompanha a diretora e autora Alessandra Gelio no palco Foto: Serginho Carvalho/Divulgação

Terceira parte de uma trilogia que passeia pela complexidade das relações humanas, “, mas de tal modo se aprende a viver com o que tanto falta” começa nesta semana uma curtíssima temporada no Teatro Municipal Café Pequeno, no Leblon. Inspirado em autores como Clarice Lispector (1920-1977), Caio Fernando Abreu (1948-1996) e Anais Nin (1903-1977), o espetáculo entra em cartaz nessa terça-feira (05), às 20h, seguindo até o próximo dia 27, com sessões também às quartas, no mesmo horário. A entrada custa a partir de R$ 20 (meia).

A montagem é uma idealização de Alessandra Gelio. Além de assinar texto e direção, ela também sobe ao palco ao lado de Mônnica Emílio para falar de amor, ausência, despedida, encontro, medo da morte, sonhos e outros vários sentimentos e momentos que costuram as relações humanas.

Tal abordagem é feita a partir do encontro entre duas mulheres que, a princípio, não têm sua relação muito bem clara. Poderiam ser mãe e filha, amantes, autora e personagem… Enquanto esta reunião expõe fragmentos de histórias distintas, em paralelo, uma personagem atravessa a encenação tentando sobreviver a uma doença crônica que pode matá-la.

“, mas de tal modo se aprender a viver com o que tanto falta”sucede outras duas peças de Alessandra. Em “Da Carta ao Pai – ou tudo aquilo que eu queria te dizer”, ela parte de uma trama de um dos livros do escritor checo Franz Kafka (1883-1924). Já em “Se eu fosse Sylvia P.”, a autora retrata fatos e afetos da vida da poeta norte-americana Sylvia Plath (1932-1963).

Embora independentes entre si, estes três espetáculos carregam um ponto em comum. Além do caráter ficcional, há também o confessional, já que Alessandra, naquela que já se tornou sua marca, acrescenta no texto elementos reais e pessoais dela própria e até de companheiros de produção.

PUBLICIDADE