‘Geléia Geral’, espetáculo de dança inspirado na Tropicália, chega ao Teatro Cacilda Becker para curta temporada

Do Rio Encena

O espetáculo é apresentado por nove dançarinos da Crütz Cia. de Dança Foto: Bernardo Marques

Importante movimento cultural surgido em meados dos anos 1960, a Tropicália é a grande fonte de inspiração para “Geléia Geral”, espetáculo de dança que chega nesse fim de semana ao Teatro Cacilda Becker, no Flamengo. Terceira produção da Crütz Cia. de Dança, a montagem estreia na sexta-feira (29), às 20h, e segue em cartaz até 22 de julho, com apresentações também aos sábados, no mesmo horário, e domingos, às 18h.

A fim de falar sobre o papel transformador que a arte ocupa na sociedade, a peça busca inspiração na coletividade e na liberdade do movimento tropicalista, inclusive para manifestos políticos.

— O espetáculo é uma fábula contemporânea sobre uma trupe de artistas nômades que expande seu limite artístico por onde passa. Nada será o mesmo após cruzarem o caminho de um homem puro, que se junta a eles — adianta Ricardo Lima, que assina direção e coreografias com Lucas Sauer.

A trupe de artistas nômades mencionada pelo diretor é representada na peça por noves dançarinos. No palco, em meio a uma grande cortina (3 m X 28 m) formada por cerca de 120 mil fitinhas do Senhor do Bonfim (idealização de Clívia Cohen), o elenco desenvolve sua performance ao longo de uma trilha sonora composta por 18 canções, todas nacionais, de artistas símbolos da Tropicália como Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil, Nara Leão, Novos Baianos, Os Mutantes e Secos & Molhados.

Aliás, o título da montagem, escrito com acento, como era antes da reforma ortográfica, é uma referência à música homônima de Gil, do álbum “Tropicália ou Panis et Circenses”, que fala sobre a mistura da qual todos são feitos.

PUBLICIDADE