‘Fricção’, sobre violência sexual infantil, faz curta temporada no Espaço Sergio Porto

Do Rio Encena

Breno Motta protagoniza e assina o texto do solo dramático Foto: Elisa Mendes/Divulgação

Um homem enrijecido e marcado pelas cicatrizes emocionais de um episódio vivido na infância é o personagem único do espetáculo “Fricção”. Com texto e atuação de Breno Motta, o monólogo dramático, que fala das consequências de um abuso sexual, estreia no próximo sábado (dia 15/07), às 19h, no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, no Humaitá. A direção é de Morena Cattoni.

Mistura de uma experiência própria do autor com relatos de outras pessoas que também foram abusadas na infância, a dramaturgia mostra como este homem, que teve seu corpo violentado aos nove anos, agora sofre com traumas como culpa, a vergonha, o isolamento e a desconfiança, assim como qualquer outra vítima do mesmo abuso. Com este trabalho, Breno espera fazer um alerta para o tema.

– Cicatrizes são sinais que contam a história de um corpo. Eu senti necessidade de abrir essa ferida quando, aos 30 anos, nessa fase em que começamos a rever e lidar com as questões que atravessaram nossa infância e juventude, percebi que existiam outras tantas histórias semelhantes ainda acontecendo todos os dias, escondidas. “Fricção” coloca uma luz sobre esse tema delicado para que seja debatido com sensibilidade e sem julgamentos. É um alerta, precisamos estar mais atentos a nossas crianças e adolescentes – adverte.

Em determinado momento dos 50 minutos de espetáculo, Breno compara as crianças vítimas de abuso a animais selvagens, que de livres passam a ser adestrados agressivamente pela vida. Com esta confrontação, ele tenta mais uma vez, de maneira provocativa, porém sensível, discutir as marcas que tal violência deixa na relação do violentado com o próprio corpo, com o amor e a sexualidade, com os outros e com o mundo.

PUBLICIDADE