Festival Internacional de Teatro da Língua Portuguesa homenageia Nelson Rodrigues em oitava edição

Do Rio Encena

O espetáculo "A Serpente", na versão do grupo Raíz de Polon, de Cabo Verde, abriu o festival Foto: R2 Fotos/Divulgação

O espetáculo “A Serpente”, na versão do grupo Raíz de Polon, de Cabo Verde, abriu o festival Foto: R2 Fotos/Divulgação

O jornalista e dramaturgo Nelson Rodrigues (1912-1980) é o grande homenageado do Festival Internacional de Teatro da Língua Portuguesa (Festlip), que começou na noite da última quarta-feira, no Teatro Sesi, no Centro. Promovido pela Talu Produções, o evento tem toda a sua programação formada por espetáculos montados por companhias de outros países que possuem o português como idioma oficial. Nessa oitava edição, três peças do escritor carioca serão apresentadas, com entrada franca, em diferentes palcos do Rio de Janeiro, como o próprio Sesi Centro, além do Oi Futuro Flamengo e do Sesi Jacarepaguá. O projeto conta ainda com exposições, shows com DJs e gastronomia (confira outras informações aqui).

Depois de ter sido apresentada nesta quarta junto com a festa de abertura, a tragédia “A Serpente” terá sessões ainda nessa sexta (23) e no sábado (24), em Jacarepaguá, e na próxima quarta (28), no Flamengo. Na montagem, o grupo Raíz de Polon, de Cabo Verde, vai do teatro narrativo ao narrativo corporal para contar a trama protagonizada por um triângulo amoroso composto por duas irmãs e um homem, que, no caso, é marido de uma e cunhado da outra. Através da dança, o diretor artístico, coreógrafo e sonoplasta Mano Preto encena o embate entre Lídia e Guida pelo amor de Paulo.

Já o grupo Elinga Teatro, de Angola, apresenta “A Mulher sem Pecado” nesta quinta (22) e na sexta (23) no Flamengo; e no sábado (24), no Centro. Na trama, Olegário é um marido que morre de ciúmes pela jovem esposa Lídia, o que o faz ser um homem inseguro. Por meio de uma brincadeira com ambiguidades, o diretor José Mena Abrantes retrata o trágico cotidiano do casal, que tem como ponto alto o momento em que Olegário contrata pessoas para vigiar a esposa.

Por fim, os portugueses do Teatro da Garagem fazem quatro sessões de “A Vida Como ela é”: nesta quinta e na sexta, no Centro; sábado e domingo, no Flamengo. A peça é baseada no universo das crônicas que o autor escreveu por cerca de 10 anos, diariamente, para o jornal Última Hora. O objetivo é retratar as relações humanas intimamente com foco em casais brasileiros dos anos 50. Com isso, claro, temas como casamento, amor, desejo e adultério são abordados ao melhor estilo Nelson Rodrigues.

SERVIÇO

“A SERPENTE”

Sessões: Sexta (23/09) às 21h e sábado (24/09) às 20h – Sesi Jacarepaguá; Quarta (28/09) às 20h – Oi Futuro Flamengo
Elenco: Bety Fernades, Júlia Furtado e Mano Preto
Direção: Mano Preto
Texto: Nelson Rodrigues
Classificação: Não informado
Entrada: Franca
Funcionamento da bilheteria: Senhas distribuídas uma hora antes do espetáculo
Gênero: Tragédia
Duração: 80 minutos

“A MULHER SEM PECADO”

Sessões: Quinta (22/09) e sexta (23/09) às 20h – Oi Futuro Flamengo; Sábado (24/09) às 19h30 – Sesi Centro
Elenco: Correia Adão, Nzadi, Adorado Mara, Virgílio Capomba, Cláudia Púcuta, Honório Santos, Madaleno Fonseca, Nani Pereira e Deth Mukinda
Direção: José Mena Abrantes
Texto: Nelson Rodrigues
Classificação: Não informado
Entrada: Franca
Funcionamento da bilheteria: Distribuição de senhas uma hora antes da apresentação.
Gênero: Drama
Duração: 90 minutos

“A VIDA COMO ELA É”

Sessões: Quinta (22/09) e sexta (23/09) às 19h30 – Sesi Centro; Sábado (24/09) e domingo (25/09) às 20h – Oi Futuro Flamengo.
Elenco: Nuno Nolasco e Nuno Pinheiro
Direção: Carlos J. Pessoa
Texto: Nelson Rodrigues
Classificação: Não informado
Entrada: Franca
Funcionamento da bilheteria: Senhas distribuídas uma hora antes da apresentação
Gênero: Drama
Duração: 70 minutos

* Segundo informações do teatro e/ou da produção do espetáculo