Festival Cena Brasil Internacional apresenta 10 espetáculos a preços populares no Centro

Do Rio Encena

Com três peças na programação do festival, o veterano japonês Tadashi Endo é o homenageado desta edição

A sexta edição do Cena Brasil Internacional começa nessa quarta-feira (31/05). Até 11/06, o festival vai levar ao CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) e à Praça dos Correios, ambos no Centro, 10 espetáculos, de oito companhias (quatro brasileiras, duas italianas, uma alemã e uma japonesa), somando um total de 29 apresentações. Com curadoria do produtor Sérgio Saboya em parceria com o jornalista, diretor e dramaturgo Luiz Felipe Reis, o evento tem atrações a preços populares (R$ 20) e também gratuitas. Para conferir a programação completa, clique aqui.

Entre as produções nacionais, estão “O Abacaxi”, com Veronica Debom e Felipe Rocha; o processo de criação de “Trajetória Sexual”, com Álamo Facó; “Real”, do Grupo Espanca!; e “Mortos-vivos: processo para uma ex-conferência”, do Grupo Foguetes Maravilha. Já as montagens internacionais, que contarão com legendas eletrônicas em português, são as seguintes: as italianas “LaVita Ferma: Sguardi sul Dolore del Ricordo” e “Verso la Specie”;a alemã “The So-Called Outside Means Nothing to Me”; e as japonesas “MA”, “Fukushima Mon Amour” e “Maboroshi”, todas do veterano Tadashi Endo, homenageado nesta edição que exalta os artistas de longa trajetória.

“Real”, do Grupo Espanca!, é uma das atrações nacionais do festival Fotos: Divulgação

– Vamos fazer uma homenagem aos 70 anos do bailarino e coreógrafo japonês TadashiEndo e sua estreita relação com o Brasil. Serão três espetáculos dele, sendo um inédito no país e outro no Rio – destaca Saboya.

Com patrocínio do Banco do Brasil, o Cena Brasil Internacional surgiu em 2012 a partir do desejo dos idealizadores de acrescentar um festival de artes cênicas ao calendário cultural carioca. O objetivo é promover um intercâmbio entre artistas brasileiros e estrangeiros.

– Os grupos têm oportunidade de compartilhar seus processos criativos e artísticos durante todo o festival – conclui Saboya.