Festa Internacional de Teatro de Angra divulga indicados a melhores da edição 2018

Do Rio Encena

Sentido horário: “Forever”, “Vou Deixar de ser Feliz”, Agosto” e “Elizeth” Fotos: Divulgação

A organização da 13ª Fita (Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis) divulgou a relação com os indicados a melhores da edição 2018. Das mais de 50 produções que foram apresentadas ao longo dos 17 dias de evento (entre 14 e 30 de setembro), 19 receberam ao menos uma indicação para o VI Prêmio Fita de Teatro. A recordista foi “Agosto”, mencionada em sete categorias, inclusive para Melhor Espetáculo – as outras concorrentes são “Forever Young”, “Vou Deixar de ser Feliz por Medo de Ficar Triste?” e “Elizeth, a Divina”. Até o fechamento desta nota, não havia sido divulgada ainda uma data para a cerimônia de premiação.

O júri foi formado pelo ator e escritor Sergio Fonta (presidente do júri); a atriz Stella Freitas; o diretor de arte e cenógrafo José Dias e o diretor do Teatro Maison de France Cédric Gottesmann. Eles foram responsáveis por escolher os indicados de 13 das 15 categorias – as exceções são Melhor Espetáculo pelo Júri Popular e Melhor Espetáculo Infantil (escolhido por crianças de Angra).

Aliás, o corpo de jurados fez uma ressalva na divulgação dos indicados. De  acordo com a organização, José Dias, cenógrafo da peça “Vou deixar de ser feliz por medo de ficar triste?”, por uma questão de ética, não participou das indicações na categoria Melhor Cenografia.

Confira a lista completa abaixo:

Categoria Especial
“Dançando no Escuro” (pela inclusão de músicos deficientes visuais no espetáculo).
Denise Stutz (Direção de movimento de “Dançando no Escuro”)
Elenco de “A Vida não é um Musical – O Musical”

Prêmio Especial do Juri
Para Marcos Caruso e Guida Vianna pelas brilhantes atuações nos espetáculos “O Escândalo Philippe Dussart” e “Agosto”, respectivamente.

Melhor Figurino
Jorge Farjalla (“Vou Deixar de Ser Feliz por Medo de Ficar Triste?”)
Carol Lobato (“A Vida não é um Musical – O Musical”)
Patricia Muniz (“Agosto”)

Melhor Cenário
Lucas Isawa ( “O Leão no Inverno”)
Carla Berry e Paulo de Moraes (“Hamlet”)
Carlos Alberto Nunes “(Agosto”)

Revelação
Jefferson Melo (Ator no espetáculo “Favela 2”)
Herton G. Cratto (Autor dos espetáculos “Rugas”)

Ator Coadjuvante
Fabricio Negri (“Emilinha”)
Rafael de Bonna (“O Leão no Inverno”)
Cláudio Mendes (“Agosto”)

Atriz Coadjuvante
Lisa Eiras (“Hamlet”)
Cilene Guedes (“Elizeth, A Divina”)
Letícia Isnard (“Agosto”)

Melhor Ator
Leopoldo Pacheco (“O Leão no Inverno”)
Flavio Migliaccio (“Confissões de um Senhor de Idade”)
Tonico Pereira (“O Julgamento de Sócrates”)

Melhor Atriz
Janaína Bianchi (“Forever Young”)
Regina Duarte (“O Leão no Inverno”)
Izabela Bicalho (“Elizeth, a Divina”)
Stella Maria Rodrigues (“Emilinha”)

Melhor Autor
Yuri Ribeiro (“Vou Deixar de Ser Feliz por Medo de Ficar Triste?”)
Flavio Migliaccio (“Confissões de um Senhor de Idade”)
Leandro Muniz (“A Vida não é um Musical – O Musical”)
Ivan Fernandes (“O Julgamento de Sócrates”)

Melhor Diretor
Ulysses Cruz (“O Leão no Inverno”)
Jorge Farjalla (“Vou Deixar de ser Feliz por Medo de Ficar Triste?”)
Martín Flores Cárdenas (“Entonces Bailemos”)
André Paes Leme (“Agosto”)

Melhor Música
Miguel Briamonte (Direção musical e canções adicionais de “Forever Young”)
Ricardo Rente (Direção musical e arranjos de “Kid Morengueira”)
João Paulo Mendonça (Direção musical de “Vou Deixar de Ser Feliz Por Medo de Ficar Triste?”)

Melhor Espetáculo
“Forever Young”
“Vou Deixar de Ser Feliz Por Medo de Ficar Triste?”
“Elizeth, A Divina”
“Agosto”

Destaque na FITA
Para Alexandre Lino que iniciou sua trilogia nordestina na FITA com os espetáculos “Domésticas”, em 2012, “Nordestinos”, em 2015, e a concluiu nesta 13ª FITA com o cativante trabalho em “O Porteiro”.

Melhor Espetáculo Infantil (composto por crianças de Angra dos Reis)
“Lololendi”
“O Pulgo e o Elefante”
“Da Mala que Sai”

Melhor Espetáculo Júri Popular
“Forever Young”
“Confissões de um Senhor de Idade”
“Dançando no Escuro”

PUBLICIDADE