Espetáculo reúne poemas gestuais metafóricos sobre o amor em temporada a preços populares no CCBB

Do Rio Encena

"O Muro" é um dos poemas gestuais que constroem o espetáculo da Cia. Dos á Deux Fotos: Renato Mangolin

“O Muro” é um dos poemas gestuais que constroem o espetáculo da Cia. Dos á Deux Fotos: Renato Mangolin

A companhia franco-brasileira Dos à Deux estreia nesta quinta-feira (17/11), às 19h, no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), o espetáculo “Gritos”. Com entradas a R$ 20 (inteira), a peça, que fica em cartaz até 16 de janeiro, fala sobre amor a partir de três poemas gestuais metafóricos. Em cena, os fundadores do grupo André Curti e Artur Luanda Ribeiro voltam a atuar em duo depois de 18 anos, trabalhando de maneira sutil de minuciosa o teatro gestual, linguagem que eles vêm praticando há um bom tempo.

– Essa pesquisa, na fronteira entre artes plásticas, formas animadas, teatro e dança, nos fez ter uma nova sensação gestual que, até então, não havíamos experimentado. Um gestual potente, complexo e contido – explica Artur.

No poema dois, um muro separa um homem de sua cabeça: sonho ou realidade?

No segundo poema, um muro separa um homem de sua cabeça: sonho ou realidade?

Os gritos que batizam a peça são, na verdade, os três poemas encenados. O primeiro, “Louise e a Velha mãe”, fala de uma mulher que nasceu num corpo masculino. No palco, a dupla encena um homem e uma mulher dentro de um mesmo corpo, com quatro pernas e duas cabeças, num jogo de ilusão como se um fosse marionete do outro.

Já em “O Muro”, o protagonista é um homem que perdeu a cabeça. O título desse poema se dá pela parede que se interpõe entre ele e a parte de seu corpo que carrega seu cérebro. Essa separação, no entanto, não impede que corpo e cabeça executem a mesma dança, fazendo assim com que haja a dúvida se aquela situação é real ou apenas um sonho.

Por fim, “Amor em Tempos de Guerra” conta a história de uma mulher, do Extremo Oriente, que dança com seu amor ao som de bombas ao longe. No entanto, um destes artefatos vitimiza o seu amor, deixando-a no meio do mundo hostil dos conflitos. A missão agora é lutar não só pela sua sobrevivência, mas também pela vida da criança que ela acabou de parir.

PUBLICIDADE