‘Educação Siberiana’, drama que aborda o fim da União Soviética, faz curtíssima temporada no Sesc Tijuca

Do Rio Encena

O espetáculo é inspirado no romance homônimo do escritor moldavo Nicolai Lilin Foto: Gustavo Paso/Divulgação

A abertura política e econômica do governo de Mikhail Gorbachev, que precedeu o fim da União Soviética, é o objeto de estudo de “Educação Siberiana”, espetáculo que estreia nesta sexta-feira (12), às 20h, no Sesc Tijuca. Dirigido por Gustavo Paso, o drama, que é inspirado no romance homônimo lançado em 2009 pelo escritor moldavo Nicolai Lilin, segue em cartaz somente até o próximo dia 05, com apresentações também sábados e domingos, no mesmo horário.

O momento histórico é retratado na peça através dos irmãos Boris e Yuri, personagens da obra de Lilin. O primeiro é fiel à cultura e tradições locais, procurando se espelhar nas pessoas mais experientes num momento que pode ser de reviravolta para sua comunidade. Já o segundo, pensando em dinheiro e em seu “sonho americano”, está disposto a quebrar regras e ir de encontro à sua própria sociedade. Entre eles, está o avô Kuzia, que procura ser mais um símbolo de resistência em meio à onda capitalista que parte do ocidente.

A relação conturbada entre Boris e Yuri representa os conflitos que marcaram o período em que o Estado soviético foi governador por Gorbachev, entre 1985 e 1991, ano da dissolução que culminou com a independência de países como Rússia, Ucrânia, Cazaquistão e Bielorrúsia.

Com apoio de países ocidentais, liderados pelos Estados Unidos, estas nações até então soviéticas clamavam por mais liberdades individuais, com melhor acesso a serviços e a bens de consumo, como vestuário e eletrodomésticos. Nem mesmo a flexibilização na economia, com uma participação menor do Estado, proposta por Gobachev, amenizou o cenário. Desta forma, setores da sociedade pediram o fim dos partidos comunistas, cujo momento mais famoso é a queda do muro de Berlim, em 1989.

PUBLICIDADE