Drama ‘Primeira Morte’ discute apatia social em curta temporada no Sesc Copacaba

Do Rio Encena

Yasmin Garcez (E), Gabriel Delfino Marques, Darília Oliveira e Vilma Mello Foto: Gabi Lopes/Divulgação

Existe uma apatia social no mundo contemporâneo? Discutir tal questão é a proposta do drama “Primeira Morte”, dirigido por Paulo Verlings, que estreou na noite desta sexta-feira (12), no Sesc Copacabana. A temporada vai até 04 de novembro, com ingressos a preços populares: entre R$ 7,50 e R$ 30.

No texto inédito de Diogo Liberano, esta apatia é apresentada, de maneira inusitada, como uma ferramenta possivelmente útil para uma convivência conjunta mais harmoniosa. E se ela fosse fosse fundamental para levar o ser humano a lidar melhor com a vida em sociedade?

Protagonista da trama, Fernanda acorda numa manhã de sábado sem conseguir levantar da cama. Entretanto, o que parecia apenas ser a apatia de quem pensara em ficar em seu quarto, isolada, por cerca de uma semana, apresenta-se como a iniciativa de quem pretende entender melhor a sua própria relação com o mundo.

PUBLICIDADE