Drama familiar ‘Agosto’ estreia no Oi Futuro Flamengo mostrando acerto de contas entre mãe e filhas

Do Rio Encena

O espetáculo é a reunião de uma numerosa família Fotos: Silvana Marques/Divulgação

Um acerto de contas entre uma mãe e suas filhas que promete revelar segredos escabrosos de uma família. Este é o enredo de “Agosto”, drama que inicia temporada no Oi Futuro Flamengo nessa quinta-feira (03/08), às 20h. O espetáculo foi adaptado pelo diretor André Paes Leme do original August: Osage County, do norte-americano Tracy Letts. Já no elenco, estão nomes como Letícia Isnard, Isaac Bernat e Guida Vianna, que está comemorando 40 anos de carreira com um papel dramático, saindo um pouco da linha cômica que a acompanhou por anos.

A trama começa com o encontro entre os membros de uma família disfuncional após o desaparecimento do patriarca. Frente a frente nesta reunião, a mãe, que luta contra um câncer, e as filhas protagonizam uma acareação, revelando pequenos e amargos segredos, inclusive de seus respectivos maridos.

– Violet é uma mulher numa situação limite, literal e metaforicamente falando. Literal porque faz quimioterapia para um câncer de boca, e talvez sua morte esteja anunciada. Metaforicamente, porque sua família está se desmantelando: o marido sumiu, as filhas só esperam o funeral para partir, e a ela só restará permanecer sozinha aos cuidados de uma empregada que ela não conhece – diz Guida sobre sua personagem.

A maioria dos embates de Violet é com a filha Barbara, papel de Letícia Isnard. E para tal relação ter ficado tão estremecida, alguns elementos foram fundamentais.

– Violet guarda mágoa de Barbara porque ela não voltou para casa quando soube do seu câncer, mas voltou quando o pai desapareceu. É a filha preferida porque Violet a julga a mais inteligente e a mais parecida com ela, e os temperamentos parecidos levam as duas a embates frequentes – explica a veterana atriz, ganhadora dos prêmios Shell 2004 e do Qualidade Brasil 2006.

Guida Vianna (D) é a matriarca que bate de frente com uma das filhas, interpretada por Letícia Isnard

Sobre o cenário, André Paes Leme adianta que vai dividir o palco nos cômodos da casa onde se dá o encontro familiar. Tal distribuição, avisa ele, vai exigir um olhar mais atento do público.

– A ação passeia por todos os cômodos e a proposta do autor é que o espectador possa ver simultaneamente todos os ambientes – acrescenta.

Em 2013, a obra de Tracy Letts foi adaptada para o cinema. Com o título de “Álbum de Família”, o longa foi protagonizado por Meryl Streep e Julia Roberts.

PUBLICIDADE