Drama ‘Cama de Gato’ aborda temas como aceitação e distorção de valores em temporada na Sala Baden Powell

Do Rio Encena

Três garotos de programa e uma travesti compõem a trama da peça foto: Sergio Santoian/Divulgação

Uma misteriosa travesti conhece três garotos de programa e acaba mudando suas vidas ao quebrar diferentes preconceitos. Esta é a trama de “Cama de Gato”, drama dirigido pela dupla Marcello Gonçalves e Marcelo Dias que está chegando à Sala Baden Powell, em Copacabana, para uma curta temporada. Escrita por Max Mendes, a peça entra em cartaz nessa quinta-feira (10), às 22h30, e segue até 1º de setembro, com sessões também às sextas, no mesmo horário.

Embalados por canções tocadas pela DJ Cacá Werneck, Fabrício Portela, Fernando Dolabella,Felipe Freitas, Henrique Sathler, Hugo Carvalho, Tiago Homci e Thiago Tenório encenam esta história que fala sobre aceitação, distorção de valores, comercialização das relações e um amor capaz de quebrar barreiras e transformar.

– Observo que cada vez mais estamos nos tratando como coisas, descartáveis, rotuladas, comercializadas e julgadas. Escrevi esse texto para nos enxergarmos como gente. Gente que se forma na diferença, que tem sentimentos diversos e deve ser respeitada. A intolerância, a homofobia, os assassinatos e a discriminação contra gays, lésbicas, travestis, transexuais e transgêneros se tornaram assustadores. Não devemos alimentar o ódio – acrescenta o autor.

PUBLICIDADE