Do Rio Grande do Norte ao Rio de Janeiro, Grupo Carmim estreia ‘A Invenção do Nordeste’ no Sesc Copacabana

Do Rio Encena

O Grupo Carmim já completou 10 anos de estrada em 2017, aqui no Rio Foto: Divulgação

Em outubro de 2014, a então presidente Dilma Roussef era anunciada como vencedora das eleições presidenciais, reelegendo-se assim para seu segundo mandato. Com a divulgação de pesquisas que apontavam os nordestinos como preponderantes para a vitória apertada da candidata do PT na polêmica corrida eleitoral sobre Aécio Neves (PSDB), não demorou muito para que as redes sociais fossem tomadas por mensagens de pessoas afirmando que o povo do Nordeste seria o grande “culpado” pelas mazelas do país. Nascia a partir desse ponto “A Invenção do Nordeste”, espetáculo que o Grupo Carmim trouxe do Rio Grande do Norte para estrear nessa quinta-feira (12), às 20h, no Sesc Copacabana.

Disposta a discutir no palco o preconceito e o estereotipação do nordestino – males que são compartilhados às vezes pelo próprio nordestino – a diretora Quitéria Kelly, que está estreando na função, conversou com o Professor Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr., autor do livro “A Invenção do Nordeste e Outras Artes”, para buscar inspiração. Em seguida, ao longo de dois anos, todo o grupo mergulhou em questionamentos dos mecanismos estéticos, históricos e culturais que levaram à visão estigmatizada do povo da região mais populosa do país. Passada esta etapa, Henrique Fontes e Pablo Capistrano começaram a escrever o texto da comédia dramática, uma obra de auto-ficção.

Na trama, um diretor recebe a missão de selecionar um ator nordestino para interpretar um personagem nordestino. Após as audições, ele seleciona dois potiguares para a etapa final. Enquanto o grande dia não chega, eles refletem sobre identidade, cultura e história pessoal, o que os faz chegar a uma conclusão: viver um personagem nordestino não é simples, nem mesmo para quem nasceu na região, já que não há apenas uma identidade nordestina.

“A Invenção do Nordeste” foi montado no segundo semestre do ano passado, logo após uma passagem do Grupo Carmim pelo Rio de Janeiro, onde lançaram o documentário cênico “Jacy” e o livro Década Carmin, sobre seus 10 anos de atividades. Antes de retornar à capital fluminense, o o grupo circulou com o espetáculo por diversas cidades, como Natal (RN), Petrolina (PE), João Pessoa (PA) e São Paulo.

PUBLICIDADE